Política

"Motociata" cresce e preocupa


A expectativa de participação do presidente Jair Bolsonaro na "motociata" prevista para 12 de junho (sábado) em São Paulo obrigou os organizadores a reprogramarem o evento, e já levam preocupação às autoridades do Estado.

Oficialmente chamada de "Acelera Para Cristo", é uma das atividades que foram pensadas para substituir a Marcha Para Jesus, maior ato evangélico do país, que foi cancelada por causa da pandemia. Seria apenas mais uma manifestação entre tantas outras que a direita rotineiramente promove, se não fosse a decisão de Bolsonaro de comparecer.

A expectativa agora é de ao menos de 10 mil motoqueiros desfilando com o presidente pela cidade, superando atos semelhantes sobre duas rodas que já ocorreram em Brasília e no Rio de Janeiro. Alguns mais otimistas falam em 50 mil.

"Pode ser que dê um colapso no trânsito da cidade", alerta um dos principais organizadores da motociata, o comerciante Jacskon Vilar. Dono de uma loja de móveis em Capão Redondo, zona sul de São Paulo, ele teve de prestar esclarecimentos à polícia em março, após ter liderado um protesto em frente à casa do governador João Doria (PSDB) contras as restrições ao comércio.

Segundo ele, já há confirmação de motoqueiros vindos do interior e litoral de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina.

(FP)


Notícias relevantes: