Política

PEC limita militares no governo


Deputados protocolaram nesta quarta-feira (14) uma proposta de emenda à Constituição (PEC) com 189 assinaturas que impede que militares da ativa ocupem cargos políticos no governo. Para que uma PEC passe a tramitar na Câmara, são necessárias 171 assinaturas de deputados.

A proposta, de autoria da deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC), cria duas exigências para o militar da ativa que quiser exercer cargo de natureza civil na administração pública: deve se afastar da atividade, caso tenha menos de dez anos de serviço; e deve passar automaticamente para a inatividade, caso tenha mais de dez anos de serviço.

No governo do presidente Jair Bolsonaro, a participação de militares em cargos civis mais que dobrou, segundo levantamento do Tribunal de Contas da União (TCU). Ex-ministro do Ministério da Saúde, o general da ativa Eduardo Pazuello comandou a pasta durante parte do período mais intenso da crise sanitária causada pela pandemia da covid-19.

Pazuello, inclusive, participou em maio de um evento político ao lado do presidente, no Rio de Janeiro, fato que repercutiu mal no meio político. O ex-ministro chegou a subir em um carro de som com Bolsonaro e fazer um breve discurso.

Na ocasião, porém, o comando do Exército decidiu não punir o general apenas por participar do ato ao lado do presidente.

(Das agências)


Notícias relevantes: