Política

Mourão diz que vetaria o Fundão


O vice-presidente Hamilton Mourão disse ontem que vetaria o aumento do fundo eleitoral, incluído na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2022. Para ele, o valor está "exagerado" e o dinheiro poderia ser "melhor empregado".

O texto do relator, deputado federal Juscelino Filho (DEM-MA), aumentou o valor do fundo de R$ 1,7 bilhão para R$ 5,7 bilhões. Rebatendo os argumentos usados por alguns políticos de que as eleições estariam muito caras, Mourão disse que atualmente "você usa muito a rede social".

"O modelo de propaganda eleitoral, de você se fazer conhecido perante a população mudou. E você busca o financiamento por meio do crowdfunding. Não está proibido o financiamento privado, ele tem valores limites", analisou, em entrevista a jornalistas. Mourão também disse não saber qual será a decisão do presidente Jair Bolsonaro.

Ontem (19), Bolsonaro voltou a falar do assunto, sem bater um martelo se vai sancionar ou vetar. Mais uma vez ele criticou a aprovação do fundão e também o deputado Marcelo Ramos (PL-AM), vice-presidente da Câmara e quem presidiu a sessão que aprovou o texto.

Para o presidente, Ramos atropelou o Regimento Interno da Câmara ao não permitir que votassem o dispositivo separadamente, fazendo com que recaísse sobre ele a decisão. O presidente disse que tem 15 dias úteis para decidir.

(Das agências)


Notícias relevantes: