Política

Governadores fazem reunião por harmonia entre Poderes

ALERTA Durante o encontro, o paulista João Doria (PSDB) falou sobre o risco de bolsonaristas 'infiltrados' nas polícias estaduais


Divulgação
Governadores se reuniram nesta segunda-feira (23) e querem encontro com o presidente Jair Bolsonaro
Crédito: Divulgação

Em reunião do Fórum dos Governadores, o tucano João Doria (PSDB-SP) alertou seus colegas sobre o risco de infiltração bolsonarista nas polícias estaduais. "Creiam, isso pode acontecer no seu estado. Aqui nós temos a inteligência da Polícia Civil, que indica claramente o crescimento desse movimento autoritário para criar limitações e restrições, com emparedamento de governadores e prefeitos", afirmou.

Doria comentava e defendia o afastamento do coronel Aleksandro Lacerda, comandante de sete batalhões de Polícia Militar do interior paulista, que no fim de semana fez postagens convocando amigos para o ato bolsonarista que foi marcado pelo presidente para o 7 de Setembro.

Para ele, o episódio ocorre "num momento gravíssimo da vida nacional". O tucano será um dos signatários de uma carta em defesa da democracia, proposta no fórum por Wellington Dias, o petista que governa o Piauí. "O Brasil vive um momento tenso, precisa de um ambiente de diálogo", disse Dias.

Doria afirmou aos governadores que não toleraria indisciplina nas polícias de São Paulo. "Sendo do governo, se quiser emitir posição política, que saia do governo", disse.

A indisciplina de polícias é um dos maiores temores de alguns governadores, principalmente de oposição ao governo federal, que já viram Bolsonaro dar apoio a amotinados na PM do Ceará e policiais atacarem sem ordem manifestantes contrários ao presidente em Recife.

Líderes das Forças Armadas descartam, contudo, a 'contaminação' de suas próprias tropas.

A reunião

Em um momento de elevada tensão institucional, os governadores de estados realizaram uma reunião na manhã desta segunda-feira (23) e decidiram atuar conjuntamente para tentar harmonizar a relação entre os Poderes, pedindo inclusive uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na próxima semana.

"O objetivo é demonstrar a importância de o Brasil ter um ambiente de paz, de serenidade onde possamos garantir a forma de valorização da democracia, mas principalmente criar um ambiente de confiança que permita atração de investimentos, geração de empregos e renda", disse o governador do Piauí, Wellington Dias (PT).

A intenção é "utilizar a força dos governadores que falam em nome da população [...] e levar essa fala dos 27 governadores para todos os Poderes constituídos no país", disse o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB).

A reunião do Fórum dos Governadores já estava prevista, mas de última hora teve incluída na pauta a possibilidade de uma ruptura institucional. O assunto veio à tona nos últimos dias após a série de ataques do presidente Jair Bolsonaro ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Além de Ibaneis e Dias, outros 22 governadores, entre eles o de São Paulo, João Doria (PSDB), participaram de forma remota. A postura de Bolsonaro, que apresentou nesta sexta-feira (20) um pedido de impeachment do ministro do STF Alexandre de Moraes, foi criticada por alguns dos governadores.


Notícias relevantes: