Política

Doria chama Aécio de 'covarde'


Na noite da última segunda-feira (23), o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), realizou uma série de ataques ao deputado federal Aécio Neves (MG), seu colega de partido.

O governador paulista, que disputará a prévia que escolherá em novembro o candidato da sigla à Presidência da República, chamou o mineiro de "covarde" e "pária dentro do PSDB" ao comentar a votação da PEC do voto impresso na Câmara. Doria ainda defendeu que Aécio peça afastamento da legenda por causa das denúncias de corrupção que enfrenta.

"Aécio Neves tem a síndrome da derrota. E começou a sua pior derrota naquele triste telefonema para um empresário aqui de São Paulo pedindo propina. Eu entendo que pessoas que pedem propina a empresário do meu partido deveriam se afastar", afirmou o governador paulista.

Doria já havia defendido o afastamento de Aécio do PSDB, mas a executiva do partido rejeitou a proposta. "Antes que o partido pedisse a sua expulsão, ele deveria ter a dignidade de se afastar do PSDB. Faça a sua defesa. Se for inocentado, volta".

Doria acredita que a atitude de Aécio pode ser comparada com a sua abstenção na votação da PEC do voto impresso neste mês. "Ele não teve essa grandeza (de se afastar) e não teve a grandeza agora porque trabalhou a sua bancada, se é que podemos chamar assim, para votar a favor de Bolsonaro. E na hora do vamos ver, se abasteve. Foi um covarde mais uma vez", afirmou o governador paulista.

Indagado sobre a fala de Aécio de que se Doria for candidato a presidente levará o PSDB ao isolamento e transformará a legenda em nanica, o governador partiu novamente para o ataque. "Que autoridade tem Aécio Neves para falar isso? Nenhuma", diferiu Doria.


Notícias relevantes: