Política

Zé Trovão diz que não irá se entregar


Divulgação
Zé Trovão garantiu presença no 7 de setembro a favor de Jair Bolsonaro
Crédito: Divulgação

Após mandado de prisão contra o bolsonarista Marcos Antônio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, o advogado Levi de Andrade disse ontem (4) que ainda não teve acesso ao documento, mas adiantou que seu cliente não deve se entregar à Polícia Federal, pelo menos até o dia 7 de Setembro.

A Polícia Federal busca pelo paradeiro dele, que é uma liderança entre os caminhoneiros, para cumprimento da prisão, solicitada pela PGR (Procuradoria-Geral da República) e determinada pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes. Zé Trovão é acusado de promover a incitação de atos violentos contra o Congresso Nacional e STF, por meio das redes sociais.

Ele teria descumprido ordens cautelares determinadas anteriormente por Moraes. "Eu ainda não tive acesso [ao mandado]. A coisa estourou agora no fim de tarde. Como vou entregar o meu cliente se eu não tive acesso ao processo?", questionou Andrade.

"Conversei com ele há cerca de cinco minutos. E pela vontade dele, já me adiantou que, se realmente tem esse mandado de prisão, ele não irá se entregar até o dia 7 de setembro", acrescentou. (Das agências)


Notícias relevantes: