Política

Proximidade preocupa autoridades


A proximidade entre apoiadores e manifestantes contrários ao presidente Jair Bolsonaro nos atos previstos para hoje, no feriado de 7 de setembro, dia da Independência, em algumas capitais preocupa as autoridades quanto à segurança dos participantes. Em Brasília, três quilômetros separam os dois atos; já em São Paulo, serão quatro quilômetros entre um protesto e outro.

De acordo com o governo do estado de São Paulo, serão 3.600 policiais militares deslocados para os dois protestos. "Para garantir a segurança nas duas manifestações serão mobilizados PMs de batalhões territoriais e especializados, com apoio de 1.473 viaturas, 60 cavalos e 4 drones.

Participarão da operação equipes dos Comandos de Policiamento da Capital, de Trânsito, de Choque, do Corpo de Bombeiros ), além do CavPM [comando de aviação] que apoiará com dois helicópteros Águia", afirmou a secretaria em nota.

A PM diz que, horas antes do início das concentrações, todos os carros de som a serem utilizados serão vistoriados por agentes. Antes de os manifestantes entrarem nos atos, também haverá revista feita por PMs, de acordo com a Secretaria da Segurança.

Qualquer tipo de armamento está proibido e a regra vale para PMs de reserva ou em folga. Além da avenida Paulista, o ato contrário a Bolsonaro vai acontecer no Vale do Anhangabaú, no centro da capital paulista, a partir das 14h.

(Das agências)


Notícias relevantes: