Política

TSE vai investigar o 7 de setembro


O corregedor-geral da Justiça Eleitoral, Luís Felipe Salomão, decidiu investigar se houve financiamento dos atos antidemocráticos de 7 de Setembro e, caso tenha havido, quem financiou. Salomão quer investigar também se os atos configuraram propaganda eleitoral antecipada.

Participaram dos atos o presidente Jair Bolsonaro e apoiadores. Salomão incluiu essa apuração em um inquérito em tramitação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que apura a disseminação de fake news.

O corregedor quer saber se houve pagamento de transporte e diárias para manifestantes e quem esteve por trás da organização do evento. Fontes da Justiça informaram que essas novas apurações são consideradas um desdobramento relevante da investigação sobre os atos.

Também é a primeira consequência judicial dos atos, principalmente porque vai se concentrar em esclarecer se a manifestação foi espontânea e se teve conteúdo eleitoral.

Até o momento não há indícios de uso de dinheiro público, tão pouco manifestação de empresas ou grupos alegando ter financiado os atos.

O corregedor ampliou o objeto de apuração para saber se houve: Abuso de poder econômico e político; uso indevido dos meios de comunicação social; corrupção; fraude; condutas vedadas a agentes públicos e propaganda extemporânea (antecipada), em relação aos ataques contra o sistema eletrônico de votação e à legitimidade das eleições de 2022.

(Das agências)


Notícias relevantes: