Política

Câmara aprova transferência de R$ 44 milhões para Saúde

JUNDIAÍ O valor será remanejado da Educação e cobrirá despesas adicionais do Hospital São Vicente e do Hospital Universitário


Divulgação
Câmara de Jundiaí realiza longa sessão e aprova repasses para a saúde e mudanças no turismo rural da cidade
Crédito: Divulgação

Na sessão que aconteceu na manhã desta terça-feira (28), a Câmara de Jundiaí votou e aprovou, em caráter de urgência, o projeto de lei enviado pelo prefeito Luiz Fernando Machado (PSDB) que prevê o repasse de R$ 44,4 milhões para a Saúde do município, que serão destinados ao Hospital São Vicente e ao Hospital Universitário.

O texto foi enviado na última sexta-feira (24) aos vereadores que, mesmo sem muito tempo para análise da proposta, aceitaram a votação em caráter preferencial e aprovaram, por unanimidade, logo no início da sessão. Muitos parlamentares fizeram o uso da palavra antes da decisão, e citaram os atrasos em cirurgias e exames na rede pública, por conta dos atendimentos a pacientes da covid-19, como justificativa para a rápida aprovação do repasse.

O fato da proposta recém-chegada já ter sido colocada na pauta pelo presidente Faouaz Taha (PSDB) foi motivo de leves reclamações por parte de alguns parlamentares, mas nada que atrapalhou a aprovação. O vereador Douglas Medeiros (PSDB) fez questão de ler o texto do projeto de lei praticamente na íntegra antes da votação.

"Não se trata de um empréstimo externo, mas da transferência de recursos da Unidade de Gestão de Educação, para a manutenção desses hospitais através de um remanejamento dos recursos que já estão previstos no Orçamento municipal", explicou Douglas.

Segundo o texto enviado pelo Executivo municipal, R$ 41,1 milhões serão destinados à promoção de ações da rede de atenção hospitalar, do Hospital São Vicente, enquanto os outros R$ 3,3 milhões serão utilizados para manutenção do Hospital Universitário e Policlínica.

"Seria melhor termos mais tempo para discutir o projeto e fico triste por tirar recursos da educação, mas, diante de tudo que estamos passando, é justo que se priorize a Saúde, principalmente aqueles que tiveram seus atendimentos atrasados pela covid-19. Agora temos que acompanhar e fiscalizar esse investimento", comentou o vereador Adílson Júnior. (PP).

A quantia integral de R$ 44,4 milhões será remanejada de valores não gastos na pasta da Educação desde o início do ano, principalmente em gastos de pessoal de magistério e encargos, do ensino fundamental e de creches, muito em conta da suspensão das aulas devido à pandemia.

O vereador Rogério Ricardo (DEM) completou a justificativa afirmando que a educação municipal não será prejudicada de forma nenhuma com a transferência destes valores.

Além do dinheiro não gasto com a educação, a Prefeitura justifica que no decorrer do ano de 2021 ocorreram eventos que impactaram nas despesas tanto do Hospital São Vicente quanto do Hospital Universitário, como reajustes dos colaboradores de nível superior, aumento das despesas com materiais médicos por conta da pandemia, e frustração de receitas oriundas do governo estadual.

Turismo Rural

Também foi aprovado o projeto de lei do presidente da Casa, Faouaz Taha (PSDB), que altera a lei que institui as "Rotas Turísticas de Jundiaí" para acrescentar um novo roteiro: a Rota de Contemplação "Mirantes da Cidade". O parlamentar destacou a importância de fomentar o turismo rural e urbano como uma maneira de movimentar a economia local.


Notícias relevantes: