Política

Apoios a Doria e Leite em redutos rivais geram pressão

PRÉVIAS PSDB é o único partido que terá votação interna para definir o candidato à Presidência da República no ano que vem


Divulgação
Eduardo Leite e João Doria travam disputa interna para a candidatura à Presidência da República em 2022
Crédito: Divulgação

O PSDB é o único partido que terá votações prévias internas para definir quem será o candidato à Presidência da República. Na disputa estarão o atual governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e o governador paulista João Doria. Há bastante equilíbrio, mas Leite se mostra levemente favorito no momento, apesar de Doria já começar a agir como legítimo candidato.

Começa hoje (14) e vai até 14 de novembro o prazo para o filiado eleitor realizar o cadastramento no sistema eleitoral eletrônico oferecido pelo PSDB e se habilitar para votar no dia 21 de novembro.

O senador Tasso Jereissati (CE) seria o terceiro nome, mas anunciou que não disputará as prévias do PSDB para candidatura à Presidência da República e que apoiará o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (RS).

Tanto Doria como Leite acumulam apoios dissidentes que geram, por um lado, pressões e ameaças de punição dentro do partido e, por outro lado, discursos, inclusive por parte de dirigentes locais, de que a democracia interna será respeitada.

Oficialmente, o diretório estadual do PSDB de São Paulo anunciou apoio a João Doria. "Ao longo dos últimos 17 meses foi necessário adotar medidas consideradas por alguns 'muito duras', mas que se mostraram necessárias para garantir a proteção e a vida das pessoas. Os ataques, por vezes pessoais, não o fizeram desistir de continuar acreditando nas recomendações da ciência", disse o diretório em nota.

Marco Vinholi, presidente do Diretório Estadual do PSDB-SP e o secretário de Desenvolvimento Regional do Governo de São Paulo, disse ao portal Poder360 que o apoio é "muito importante para o processo democrático dentro do partido" e um "importante passo rumo à vitória".

"A decisão por unanimidade do PSDB São Paulo pelo nome de João Doria como o candidato do partido para à Presidência da República significa a união da Executiva Estadual e seu gigantesco apoio a ele, não só nas prévias, mas, também, nas eleições de 2022", disse.

O coordenador da campanha de prévias de Doria, Wilson Pedroso, afirmou que os apoios a Leite em São Paulo representam "uma gota no oceano". Da parte de aliados de Doria, a crítica é a de que os paulistas que apoiam Leite são ligados a Alckmin e podem deixar o partido após as prévias. Serra, no entanto, diz que vai permanecer no PSDB e que esse argumento "leva a discussão para um nível raso".

Em 30 de setembro, o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Carlão Pignatari (PSDB), aliado de Doria, entrou com uma representação contra o vereador Bruno Moura (PSDB), de São José do Rio Preto. No mesmo dia, veículos locais haviam noticiado o apoio de Moura a Leite.


Notícias relevantes: