Política

Bolsonaro e líderes mundiais chegam à Itália para o G20

ROMA Esse será o primeiro encontro presencial desde o início da pandemia, e a expectativa é grande sobre diversos assuntos


Divulgação
O presidente Jair Bolsonaro já está na Itália para a reunião da Cúpula do G20 que acontece neste fim de semana
Crédito: Divulgação

Líderes mundiais começam a desembarcar nesta sexta-feira (29) em Roma, capital italiana, para o encontro da cúpula do G20, grupo de países mais ricos do mundo. O presidente Jair Bolsonaro e o líder americano Joe Biden são dois dos que já cumprem agenda antes do início oficial dos eventos da cúpula, que se alongarão por hoje (30) e domingo (31).

Com grandes expectativas para o primeiro encontro presencial do G20 desde que a pandemia começou, os principais temas da reunião devem abranger as mudanças climáticas, a recuperação econômica pós-pandemia e a distribuição global de vacinas contra a covid-19, bem como a desigualdade de acesso dos países mais pobres.

As primeiras reuniões irão tratar de economia e saúde global, bem como maneiras de estimular pequenas empresas a prosperarem e o empreendedorismo feminino a crescer globalmente. Em seguida, são esperadas conversas sobre desenvolvimento sustentável e as mudanças climáticas - temática que vai de encontro com a realização da COP26, em Glasgow, na Escócia, a partir do domingo (31).

Bolsonaro

Jair Bolsonaro desembarcou em Roma nesta sexta-feira (29), por volta das 8 horas (no horário de Brasília). Hoje, o único compromisso de Bolsonaro é uma audiência com o presidente da Itália, Sergio Mattarella, no Palácio do Quirinal.

A comitiva presidencial que acompanha o presidente é integrada pelos ministros Carlos França (Relações Exteriores) e Paulo Guedes (Economia). Neste sábado e domingo, Bolsonaro participa das atividades do G20, onde deve ter outros encontros bilaterais com autoridades estrangeiras, além de reuniões internas.

Superar desconfianças

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, alertou nesta sexta-feira (29) que o mundo se lança em direção a um desastre climático. Segundo ele, os líderes do G20 precisam fazer mais para ajudar os países mais pobres.

Falando na véspera da cúpula do grupo das maiores economias do mundo, Guterres disse que existem "níveis perigosos de desconfiança" entre as nações e que espera que a reunião de dois dias ajude a superar isso.

Guterres pediu ao G20 que direcione mais fundos a países pobres, inclusive por meio de alívio de dívida, e fortaleça o acesso destes países a vacinas contra a covid-19. Ele acrescentou que a recuperação econômica da pandemia está amplificando as desigualdades. "Isto é imoral."

Guterres ainda pediu que as economias ricas cumpram seu compromisso já antigo de fornecer US$ 100 bilhões por ano para ajudar o mundo em desenvolvimento a enfrentar a ameaça crescente representada pela mudança climática.

"Infelizmente, a mensagem aos países em desenvolvimento é essencialmente esta: o cheque está no correio. Em todas as nossas metas climáticas, temos milhas a percorrer. E precisamos acelerar o passo", disse Guterres.

Muitos dos líderes a caminho de Roma, incluindo o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, voarão imediatamente em seguida à Escócia para a conferência da ONU sobre mudanças climáticas COP26


Notícias relevantes: