Política

Diretores da Anvisa são ameaçados de morte caso aprovem vacina contra covid em crianças


Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O Distrito Federal começou a vacinar pessoas com 49 anos a partir de hoje. A vacinação contra a Covid-19 começou no dia 19 de janeiro e o DF já recebeu 1.455.070 doses de imunizantes.
Crédito: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Os cinco diretores da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) foram ameaçados de morte caso ocorra a aprovação de vacina contra a covid-19 para crianças de 5 a 11 anos .

A ameaça foi feita por e-mail na manhã desta quinta-feira (29). Ela não foi anônima, mas a agência não tem certeza se o nome utilizado é o verdadeiro.

Fazem parte da diretoria Antonio Barra Torres (diretor-presidente), Meiruze Sousa Freitas (segunda diretoria), Cristiane Rose Jourdan Gomes (terceira diretoria), Rômison Rodrigues Mota (quarta diretoria) e Alex Machado Campos (quinta diretoria).

Além dos diretores, também constam como alvo das citadas ameaças de morte instituições escolares do Estado do Paraná.

Na mensagem, a que a reportagem teve acesso, a pessoa diz que havendo aprovação da Anvisa para vacinação em crianças, o filho seria imediatamente extraído da escola e não retornaria.

"Estou tomando a difícil atitude de retirá-lo do ambiente escolar para preservar a segurança do meu filho. Deixando bem claro para os responsáveis, de cima para baixo: quem ameaçar, quem atentar contra a segurança física do meu filho será morto", diz o texto.

"Isso não é uma ameaça. É um estabelecimento. Estou lhes notando por escrito porque não quero reclamações depois", continua.

A Anvisa disse, por nota, que oficiou imediatamente às autoridades policiais e ao Ministério Público, nos âmbitos federal, estadual e distrital, entre outras, para adoção das medidas cabíveis.

Ainda não há pedidos na Anvisa para que libere a aplicação de doses da vacina contra a covid-19 em crianças. A Pfizer informou que deve solicitar à agência reguladora a aplicação da vacina ComiRNAty em crianças no mês de novembro.

"A submissão do pedido junto à Anvisa para a aprovação do uso da vacina ComiRNAty, da Pfizer/Biontech, para crianças entre 5 e 11 anos deve ocorrer ao longo do mês de novembro de 2021", disse em nota.

O Instituto Butantan chegou a pedir a liberação da Coronavac em crianças e adolescentes de 3 a 17 anos na agência reguladora, mas o aval foi negado e o processo de tramitação foi encerrado em agosto.

O Ministério da Saúde planeja vacinar crianças contra a covid em 2022 caso a Anvisa aprove a imunização. Para esse público, a previsão é de 70 milhões de doses.


Notícias relevantes: