Política

Diretor-geral da PF diz que combate ao crime independe de 'fator político'

No ano passado, a PF esteve no centro de uma polêmica quando Moro acusou Bolsonaro de tentar interferir na corporação


PF desarticula quadrilha que fraudava aposentadorias rurais
Crédito: Reprodução/Internet

Em mensagem distribuída aos servidores em ocasião do Dia do Policial Federal, o diretor-geral Paulo Maiurino disse que o combate ao crime pela PF é feito de forma perene e independe de qualquer outro fator, seja ele político ou econômico.
No ano passado, a PF esteve no centro de uma polêmica depois que o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro acusou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de tentar interferir na corporação. Maiuirino assumiu o comando da corporação neste ano.
"Independentemente de qualquer outro fator, político ou econômico que são, por essência, fenômenos efêmeros e sazonais, o combate ao crime realizado pela Polícia Federal deve ser, sempre foi e continuará sendo perene", diz Maiurino na mensagem.
O diretor-geral da PF ainda diz que pesquisas de opinião indicam que a PF "ocupa posição de destaque dentre as instituições brasileiras mais respeitadas e admiradas" e elogia a atuação dos servidores.
"Se, por um lado, não podemos esquecer dos evidentes avanços tecnológicos e logísticos das últimas décadas, que colocaram a PF no rol das polícias mais bem equipadas do mundo; igualmente inegável é a qualidade e preparo de nossos quadros funcionais" disse.
Em outro trecho, Maiurino destaca que a importância e a responsabilidade de fazer parte da Polícia Federal.
"Tenhamos consciência da nossa importância para o país, mas também da enorme responsabilidade que isso acarreta. O incrível apreço a nós dedicado pela sociedade é sinal claro e evidente de que estamos no caminho certo", diz.


Notícias relevantes: