Política

Jundiaí prepara compromisso para enfrentar crise climática

COP 26 Jundiaí prepara ações e estratégias para alinhamento à Conferência das Nações Unidas sobre o Clima


DIVULGAÇÃO
Reunião de gestores de Jundiaí alinha diretrizes ambientais futuras que estão sendo discutidas em Glasgow, na Escócia, durante conferência da ONU
Crédito: DIVULGAÇÃO

Gestores públicos de Jundiaí realizaram reunião para discutir e elaborar um Termo Intragovernamental de Compromisso pelo Enfrentamento à Crise Climática no município, que tem por objetivo alinhar ações e estratégias - já existentes ou em planejamento, para a adaptação e mitigação dos efeitos da mudança climática. A reunião ocorreu no mesmo dia da discussão do papel das cidades e regiões na 26ª Conferência das Nações Unidas Sobre o Clima (COP 26), em Glasgow, na Escócia.

"Esse termo, em Jundiaí, não será de intenção, mas de execução", observou o prefeito Luiz Fernando, presente à reunião. "Estamos colocando em prática ações para mitigar a crise ambiental, como o proteção de áreas como a Serra do Japi, como a nossa represa de abastecimento, troca da iluminação pública por LED e a implantação do PSA (Pagamento por Serviços Ambientais), que paga o produtor rural pela proteção de áreas verdes e suas nascentes. Todas essas ações se ajustam às medidas que estão sendo debatidas na COP26."

Jundiaí foi inscrita no portal de Ações Climáticas lançado na COP 26. Assim, a cidade passa a estar disponível em um mapa no qual é possível observar dois compromissos padrões: "Atingir emissões líquidas de carbono zero até 2050" e "reduzir as emissões pela metade até 2030". O termo intragovernamental busca justamente definir ações para atingir esses compromissos. O mapa com as cidades do programa está em (https://climateaction.unfccc.int/).

O gestor José Antonio Parimoschi, que coordena as ações do governo municipal, lembrou de assuntos urgentes discutidos e metas traçadas pelas autoridades presentes na COP 26. "Metas como a diminuição da temperatura, eliminação de veículos movidos a combustíveis fósseis, redução da emissão de gás metano, instituição de um mercado de carbono, entre outras, são fundamentais e afetam diretamente a vida nas cidades. Em 2030, o mundo todo vai olhar para os indicadores e metas dos ODSs (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável), da ONU, as quais Jundiaí está em pleno alinhamento com seu planejamento local (PPA)", declarou. "E não é só olhar para o futuro, mas também para o presente, para ações que mudem nosso cenário atual. Nesse sentido, Jundiaí elaborou, em parceria com a Siemens, o Relatório de Sustentabilidade da cidade (https://jundiai.sp.gov.br/wp-content/uploads/2019/08/jundiai-sustentavel.pdf), ainda em 2018, com metas de redução dos gases efeito estufa emitidos no município. Agora, estamos construindo, sob a coordenação da Defesa Civil, um plano de ação para sermos uma cidade resiliente, com o objetivo de mitigar e prevenir efeitos da crise climática como queimadas e inundações."

A reunião de gestores trouxe exemplos de ações e possíveis trabalhos futuros para diferentes áreas, como mobilidade urbana, habitação, defesa civil, desenvolvimento econômico, agricultura, abastecimento e agronegócio, além de abordar temas como o desperdício de água, a coleta de diferentes tipos de resíduos e a participação da iniciativa privada em todas essas ações e a importância da educação ambiental na construção deste processo.


Notícias relevantes: