Política

Chefe de gabinete é presa no AC


A chefe de gabinete do governador do Acre, Gladson Cameli (PP), foi presa ontem (22) pela Polícia Federal na 2ª Fase da Operação Ptolomeu suspeita de obstruir as investigações de corrupção e lavagem de dinheiro relacionados a membros do governo do estado. A prisão foi confirmada à reportagem pela PF. Na semana passada, Cameli foi um dos alvos da primeira fase da operação.

A prisão foi determinada pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça), que pediu também a "imediata instauração" de novo inquérito policial visando a apuração do crime de obstrução de investigação de organização criminosa. Ainda por determinação do STJ, policiais federais cumpriram cinco mandados de busca e apreensão em Rio Branco.

A PF não divulgou o nome da chefe de gabinete, mas no site do governo o Acre o cargo é ocupado pela funcionária Rosângela Gama.

"Nesta segunda fase, a Polícia Federal identificou um conluio entre servidores públicos, que, após a deflagração da operação no último dia 16, praticou diversos atos direcionados a obstrução da investigação, na tentativa de destruição de provas essenciais para a continuidade das apurações", diz o comunicado da PF sobre a ação.

De acordo com a PF, a investigação que tramita no STJ (Superior Tribunal de Justiça) apura se um "grupo criminoso, controlado por empresários e agentes políticos ligados ao Poder Executivo estadual acreano, atuava no desvio de recursos públicos, bem como na realização de atos de ocultação da origem e destino dos valores subtraídos".

Na primeira fase da operação, realizada no último dia 16, com apoio da CGU (Controladoria-Geral da União), a PF cumpriu 41 mandados de busca e apreensão e uma ordem judicial de prisão.


Notícias relevantes: