Política

Ciro Gomes convoca Sergio Moro novamente para debate


DIVULGAÇAO
Ciro Gomes vem provocando o candidato Moro para um debate ao vivo
Crédito: DIVULGAÇAO

Ciro Gomes (PDT) voltou a chamar o ex-ministro da Justiça Sergio Moro, pré-candidato à presidência pelo Podemos, para um debate ao vivo. Pelo Twitter, o político do PDT acusou Moro de "papagaiar" na rede social e se esquivar de explicações mais complexas. "Que tal você deixar de falar obviedades e vir debater economia, ao vivo, comigo? Papagaiar no tweet é fácil. Explicar como e porque é que são elas. Vamos debater? Falta conteúdo, coragem, ou as duas coisas juntas?", falou Ciro, que também visa a corrida eleitoral de 2022.

O tweet do pedetista foi uma resposta a um post do ex-juiz, no qual ele disse ser necessário "ousadia" para retomar a economia no Brasil. "Melhorar os serviços públicos, simplificar os impostos, estimular o emprego, reformar a educação, promover a inclusão, erradicar a pobreza e combater a corrupção", escreveu Moro. Em dezembro, Ciro já tinha chamado o ex-ministro para um debate. "Por que você tem fugido aos desafios que tenho lhe feito reiteradamente? Escolha o dia, a hora, o formato e o temas que quiser. Aceitarei de pronto", disse o pedetista, que logo afirmou que Moro é "covarde, dissimulado e despreparado".

O ex-juiz, então, respondeu que só aceitaria a proposta do pedetista caso ele adotasse uma postura diferente e menos agressiva. Nas provocações e convites, Ciro não deixa claro como seria feito o debate - se haveriam mediadores, se seria pela televisão ou pelas próprias lives dele, chamadas de Ciro Games.

Apesar das farpas trocadas com outros pré-candidatos à presidência, Ciro e Moro pontuam por baixo nas pesquisas de intenção de votos. Um estudo da Datafolha, publicado em dezembro, registrou que o pedetista seria a opção de 7% dos eleitores, enquanto o ex-ministro tem o voto de 9% dos entrevistados. Enquanto isso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disparou na liderança com 48%, seguido do atual mandatário Jair Bolsonaro (PL) com 22%. João Doria (PSDB) ficou em último dos cinco nomes pesquisados, com 4% das intenções de votos.

(Das agências)


Notícias relevantes: