Política

Decreto socorre elétricas


O presidente Jair Bolsonaro (PL) editou um decreto, nesta sexta-feira (14), que, na prática, dá sinal verde para que a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) defina as regras para uma segunda rodada de empréstimos coordenados pelo BNDES às distribuidoras de energia. A medida tenta cobrir novas diferenças de custos de geração que, na crise hídrica, atingiram patamares exorbitantes que encareceram as contas dos consumidores.

Publicado no Diário Oficial da União desta sexta (14), o decreto cria a Conta Escassez Hídrica, "destinada a receber recursos para cobrir, total ou parcialmente, os custos adicionais decorrentes da situação de escassez hídrica para as concessionárias e permissionárias de serviço público de distribuição de energia elétrica".

O jornal Folha de S.Paulo mostrou, no último dia 4, que a demora do governo em liberar a nova rodada de empréstimos para socorrer o setor levou empresas a arcarem com mais de R$ 5 bilhões, de acordo com a Abradee (Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica).

Em nota, o Palácio do Planalto diz esperar "garantir a higidez de todo o sistema elétrico, de forma a permitir a célere injeção de recursos nas distribuidoras e, ao mesmo tempo, possibilitar que o repasse aos consumidores dos custos adicionais observados na geração de energia elétrica se faça de forma suave e diluída no tempo".


Notícias relevantes: