Política

Dória desiste e PSDB constrói aliança para consolidar 3ª via

CORRIDA PRESIDENCIAL Decisão contraria postura de tucano e aliados, que vinham negando a possibilidade de deixar a eleição


FOLHAPRESS
Doria fez o anúncio ontem, em seu comitê de campanha na capital paulista, ao lado da mulher e de aliados
Crédito: FOLHAPRESS

O ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) anunciou ontem (23) que desiste de sua pré-candidatura ao Palácio do Planalto, cedendo a pressões da cúpula do seu partido, que pretende anunciar apoio à senadora Simone Tebet (MDB-MS) e consolidar uma candidatura única da chamada terceira via.

"Me retiro da disputa com o coração ferido, mas com a alma leve. Saio com sentimento de gratidão e a certeza de que tudo o que fiz foi em benefício de um ideal coletivo, em favor dos paulistanos, dos paulistas e dos brasileiros", disse em seu discurso.

"Hoje, serenamente, entendo que não sou a escolha da cúpula do PSDB. Aceito esta realidade com a cabeça erguida. Sou um homem que respeita o bom senso, o diálogo e o equilíbrio. Sempre busquei e seguirei buscando o consenso, mesmo que ele seja contrário à minha vontade pessoal. O PSDB saberá tomar a melhor decisão no seu posicionamento para as eleições deste ano", afirmou. O anúncio, feito em tom grave, na casa alugada para seu comitê de campanha, nos Jardins.

Após o anúncio de desistência de João Doria (PSDB), o presidente do PSDB, Bruno Araújo, que acompanhou a fala do ex-governador paulista, afirmou que uma candidatura presidencial própria do partido é um "assunto vencido, no sentido de que a aliança é absolutamente fundamental". E disse que a coligação com MDB e Cidadania em torno de um candidato único -hoje o nome da senadora Simone Tebet (MDB) é o escolhido - vai avançar.

Dirigentes do PSDB não acreditavam que haveria acordo com Doria e apostavam até na judicialização do imbróglio. O tucano chegou a sinalizar que buscaria a Justiça Eleitoral para garantir que o PSDB lhe desse legenda com base no fato de ter vencido prévias em novembro passado.

Outros aliados e membros da equipe de pré-campanha também choraram, como o tesoureiro do PSDB, César Gontijo. A deputada estadual Carla Morando (PSDB) foi outra que derramou lágrimas - ela ouviu o discurso de mãos dadas com a deputada estadual Damaris Moura (PSDB). O clima era tenso no auditório.

O PSDB deve deliberar apoio à senadora em reunião da executiva hoje. MDB, PSDB e Cidadania têm um acordo para lançar uma candidatura única da terceira via -e, na semana passada, uma pesquisa encomendada pelos partidos indicou que a emedebista era mais viável do que o tucano.

Depois do anúncio do tucano, a senadora divulgou uma nota em que afirmou que "Doria nunca foi adversário, sempre foi aliado", destacou sua "luta pela vacina" e disse que conversará com ele para receber sugestões para seu programa de governo. "O Brasil é maior do que qualquer projeto individual. Vamos trabalhar para unir todo o centro democrático", disse Tebet.

(Folhapress)


Notícias relevantes: