Política

Tarcísio ataca PSDB e elogia Bolsonaro


O ex-ministro Tarcísio de Freitas usou o evento que oficializou a sua candidatura ao Governo de SP, ontem (30), para atacar o PSDB e para mostrar-se próximo do presidente Jair Bolsonaro (PL), patrocinador do pleito dele ao Palácio dos Bandeirantes.

"Hoje é um dia que marca o fim de um ciclo. De um ciclo de um partido que está há 28 anos no poder", discursou o ex-ministro, referindo-se à legenda do seu rival e atual governador paulista, Rodrigo Garcia (PSDB). "Um partido que criou raízes profundas e hoje impede o estado de andar. Um partido que perdeu a sensibilidade, deixou de olhar para as pessoas e não compreende mais o que o cidadão precisa", disse.

A frase de Tarcísio é uma referência ao mote da campanha do governador Rodrigo Garcia (PSDB), que se intitula um "paulista raiz", para fazer contraposição ao ex-ministro de Bolsonaro, que nasceu no Rio de Janeiro.

Antes de mirar nos tucanos, o ex-ministro iniciou a sua fala com elogios a Bolsonaro e palavras para colar a sua imagem à do presidente.

"(Jair Bolsonaro) é uma pessoa que mudou a minha vida, que abriu portas que eu não imaginava que seriam abertas", afirmou Tarcísio, que aproveitou para se mostrar crítico aos rivais do seu padrinho político. "Se fosse outro presidente eleito em 2018, uma pessoa com o meu perfil, jamais chegaria ao ministério. O critério para a escolha de ministros era outro, e a gente viu no que deu", disse Tarcísio, que se põe como um ministro de perfil técnico.

A candidatura de Tarcísio foi homologada em convenção nacional do Republicanos, ontem na capital paulista. O evento também serviu de convenção estadual para o PTB-SP. Presente no evento, Bolsonaro voltou a reclamar do Supremo Tribunal Federal.

O evento contou com a presença do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, que tenta se reeleger deputado federal pelo PTB em São Paulo, e dos deputados Daniel Silveira (PTB-SP) e Carla Zambelli (PL).

A candidatura de Tarcísio conta também com o apoio do PSD, cujo presidente é o ex-ministro Gilberto Kassab - crítico a Bolsonaro. Para ele, o apoio é apenas no plano estadual.

A chapa de Tarcísio é composta ainda de Felicio Ramuth (PSD), ex-prefeito de São José dos Campos (SP) que concorre como vice, e Marcos Pontes, ex-ministro vice e o ex-ministro da Ciência, Tecnologias e Inovação que pleiteia ao Senado.

Tarcísio trabalhou nos governos Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (MDB).

Em pesquise recente do Datafolha, Tarcísio e Rodrigo Garcia (PSDB) empatam com 13% das intenções de voto. Fernando Haddad (PT), lidera com 34%.


Notícias relevantes: