Política

A um ano da eleição, cidades já vivem agitação política


Candidatos
Crédito: Reprodução/Internet
Já é possível perceber uma forte movimentação em torno das eleições municipais do ano que vem em cidades próximas a Jundiaí, como Várzea Paulista e Campo Limpo Paulista. Alguns pré-candidatos, tanto para prefeito quanto para vereador, já têm preferência em determinados partidos e as parcerias entre os partidos políticos para fortalecer suas candidaturas também já começam a ser articuladas. No caso de Campo Limpo Paulista, cidade com pouco mais de 80 mil habitantes, o atual prefeito, Dr. Japim Andrade (PROS), está em seu primeiro mandato e deve tentar a reeleição. Dr. Japim é formado em Medicina pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) com especialização em Nefrologia e em Medicina Intensiva (UTI). O atual prefeito comenta que há projetos em andamento, e uma reeleição permitiria dar continuidade. “Meu objetivo é dar sequência ao projeto iniciado de transformação da cidade. Quando assumi a Prefeitura em janeiro de 2017, me deparei com uma dívida milionária, o que me impossibilitou de fazer mais investimentos. Trabalhei incansavelmente para renegociar as dívidas e quitar pendências com inúmeros fornecedores. Hoje a realidade já é outra, porém, preciso seguir com tudo o que planejei para que Campo Limpo se torne uma cidade mais desenvolvida.” Seu principal adversário deve ser mais uma vez outro médico, Dr. Luiz Brás (PSDB), que também concorreu a prefeito nas últimas eleições e perdeu por apenas 12 votos. Ele já foi prefeito da cidade por dois mandatos. Segundo o presidente do partido em Campo Limpo, Bruno Patelli, o PSDB está confiante com a candidatura de Luiz. “Pelo que vemos nas ruas, as chances de vencer são boas. Os adversários estão preocupados com a gente”, diz. Aléssio Grandizoli (PDT) também deve ser candidato à prefeitura, fechando o time dos favoritos. O atual vice-prefeito chegou a assumir a prefeitura por alguns dias em 2017, quando a Câmara Municipal votou pela cassação do prefeito Japim, mas a decisão foi anulada cerca de uma semana depois. Várzea Paulista ]A situação é um pouco diferente em Várzea Paulista, município vizinho de Jundiaí com mais de 120 mil habitantes. Lá, ainda há muitas incertezas sobre quem serão os candidatos dos principais partidos e quem estará legalmente apto a concorrer. No Partido dos Trabalhadores (PT), dois candidatos estão travando uma corrida interna: Eduardo Tadeu Pereira e Marly Caldas. “No PT estamos vendo, estudando os nomes. Tem a Marly Caldas que já se prontificou. Eu só serei candidato se o PT quiser e eu sentir que há apelo popular nesse sentido” relata Eduardo, que já foi prefeito da cidade em dois mandatos. O atual prefeito Juvenal Rossi (PV), que não pode mais tentar a reeleição, prefere não se pronunciar nesse momento, pois não há nada definido oficialmente. Em nota, ele relata que “só espera que quem o suceder mantenha as ações positivas, programas de contenção de despesas, responsabilidade fiscal e lisura administrativa para que a cidade continue avançando como vem acontecendo nos últimos seis anos.” Pelo PSB, Junior Aprillanti é pré-candidato. Ele já concorreu nas últimas eleições e acabou em segundo lugar, perdendo para o atual prefeito Juvenal Rossi (PV). “Não acredito que vá haver mais do que quatro ou cinco candidatos em Várzea. Por enquanto estamos nos fortalecendo e montando a chapa dos vereadores também. Existem algumas conversas sobre parcerias com outros partidos, mas isso será confirmado apenas mais próximo às eleições. O que eu posso confirmar é que terá a nossa candidatura e a do atual governo” comenta Aprillanti.

Notícias relevantes: