Política

Bebianno diz que recebe ameaças depois de ter telefone divulgado


O ministro Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral da Presidência, relatou a pelo menos dois amigos próximos que está recebendo ameaças por meio de seu número de WhatsApp. Elas teriam começado a ser feitas no domingo (17). Bebianno estuda denunciar o fato às autoridades, como a PGR (Procuradoria-Geral da República). Desde que começou a crise envolvendo a permanência do ministro no cargo, o telefone dele foi espalhado em grupos de redes sociais. As ameaças, então, começaram a ser disparadas. Um dos interlocutores de Bebianno diz acreditar que 99% das ameaças são "bravatas" de "bolsominions", como são chamados os apoiadores mais radicais do presidente Jair Bolsonaro (PSL) nos meios de oposição. Apesar disso, ele está sendo aconselhado a cuidar de sua integridade física. No domingo (17), depois que diversos meios de comunicação publicaram que ele poderia cair atirando em Jair Bolsonaro, Bebianno disse à coluna que não pensava em atacar o presidente. "Sou paciente, chato e obstinado. Tenho muitos amigos também. Dará um certo trabalho, mas devolverei em triplo as ameaças e ofensas (dentro da lei). Não tenho medo de briga. Não me intimidam", disse Bebianno, via mensagem de WhatsApp, ao UOL, empresa do Grupo Folha?, nesta segunda-feira(18). BRASÍLIA, DF, 15.02.2019: GUSTAVO-BEBIANNO - Ministro Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral da Presidência, é visto deixando o hotel onde mora em Brasília, na manhã desta sexta-feira (15), (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

Notícias relevantes: