Política

Cajamar pode ter novas eleições após recálculo de votos

2014-10-17_08-47-51_1
Crédito: Reprodução/Internet

Os votos das eleições municipais de 2012 de Cajamar foram recontados, na tarde desta quinta-feira (16), após pedido do juiz eleitoral da cidade, Filipe Levada. Conforme informou o cartório da 354ª zona eleitoral, onde ocorreu o recálculo, 79,52% dos votos foram considerados nulos. Com isso, há chances de uma nova eleição ser convocada no município. A decisão, porém, ainda depende de julgamento do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) sobre o caso.

Os votos nulos ultrapassaram 50% e anulam a eleição por conta do juiz eleitoral já ter declarado inválidos todos os votos feitos ao atual prefeito Daniel Fonseca (PSDB) e, por esse motivo, ter pedido a recontagem. Estes foram ainda somados aos votos anulados e destinados à segunda colocada, Ana Paula Ribas (PT), que também foi cassada, e aos nulos, de fato.

Daniel foi cassado por Levada duas vezes no período de um ano. O primeiro processo tramita no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), última instância, e o segundo - publicado nesta semana e que exigiu o recálculo - será avaliado pelo TRE-SP, já que o prefeito pediu efeito suspensivo na quarta-feira.

O motivo dos dois pedidos de cassação é o mesmo - irregularidades de campanha e uso do dinheiro público para pagamento de matérias que teriam beneficiado o candidato. Daniel ainda foi acusado, neste segundo processo, de lavagem de capitais, corrupção, peculato e formação de quadrilha.

Novas eleições podem ser convocadas tanto pela decisão do TRE-SP sobre o pedido de efeito suspensivo quanto pelo desfecho do primeiro processo, ambos esperados para a próxima semana. Enquanto isso, Daniel continua prefeito.


Notícias relevantes: