Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Cláusula de barreira provoca união entre partidos para 2020

Angelo Augusto | 18/08/2019 | 07:00

As eleições municipais de 2020 serão as primeiras a seguirem a nova Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que cria uma cláusula de desempenho para que as legendas tenham acesso ao Fundo Partidário e ao tempo gratuito de rádio e televisão.

Segundo a nova norma, têm direito aos valores estipulados os partidos que, na legislatura seguinte ao pleito de 2018, obtiveram no mínimo 1,5% dos votos válidos nas eleições para a Câmara dos Deputados.

Em Jundiaí, o Partido Humanista da Solidariedade (PHS) já anunciou a seus filiados que não atingiu o desempenho necessário para o fundo, e muito provavelmente não irá lançar candidatura para o ano que vem com essa sigla. Como solução, o partido está estudando uma incorporação ao PODEMOS.

Porém, algumas lideranças nacionais e estaduais do PHS não aprovam essa junção e as negociações seguem sem avanço.

Enquanto isso, seus filiados têm mantido conversas sobre possíveis trocas de partidos no município.

Alguns nomes importantes do município devem trocar de partido para 2020, como no caso do vereador Rogério da Silva (PHS). “Tenho recebido convites de diversos partidos, mas o mais provável é que eu me afilie ao DEM (Democratas) para o ano que vem. Pretendo tentar mais um mandato como vereador e após isso, se possível, me candidatar a deputado estadual. Ainda considero muito cedo para buscar o cargo de prefeito”, comentou.

O DEM passa por uma reestruturação em Jundiaí e promete selar novas alianças para aumentar suas forças nas próximas eleições. José Galvão Braga Campos, o Tico, está sendo cotado para presidir o partido.

O presidente do PHS Jundiaí, Toninho Inácio, revela que o partido realmente deve desaparecer no ano que vem, mas disputas internas estão atrapalhando as negociações com outras siglas.

“Quando o partido cresce consideravelmente a nível nacional, muitas pessoas querem ter poder lá dentro, e isso reflete nos comandos estaduais e municipais. A junção ao PODEMOS seria uma boa saída, mas algumas lideranças estaduais não querem. Por se tratar de uma incorporação, teríamos de nos submetermos às regras e o estatuto do PODEMOS e isso não é bem visto por alguns membros”, relata.

“A ideia é a de criar um núcleo do PHS dentro do DEM e levar para lá o maior número possível de filiados, principalmente aqueles que já se encontram no partido nessa gestão”, completa.

Outros dois partidos que não ultrapassaram a cláusula de barreira foram o Patriotas e o PRP, que se unirão para lançar a candidatura para o Legislativo nas eleições de 2020. Juntos, eles possuem o número de votos proporcionais necessários para receber o fundo partidário e o tempo de TV e rádio gratuitos. Neste caso, o PRP será incorporado, e a sigla do Patriotas será mantida.

Cláudio Miranda, presidente municipal do Patriotas, diz estar confiante para a candidatura do ano que vem.

“Com essa união entre nós e o PRP conseguiremos uma chapa forte, com mais recursos e tempo de propaganda que em 2016, ultrapassando inclusive outros partidos tradicionais. Nosso foco não é em convidar nomes já consagrados na política, mas trabalhar novos candidatos e revitalizar o Patriotas, pois queremos sangue novo no Legislativo a partir do ano de 2020”, completa.


Leia mais sobre |
Angelo Augusto
Link original: https://www.jj.com.br/politica/clausula-de-barreira-provoca-uniao-entre-partidos-para-2020/
Desenvolvido por CIJUN