Política

Conde desperta ira de motoristas de ônibus


Foto: Alessandro Rosman
Crédito: Reprodução/Internet
Durante a sessão ordinária da Câmara de Jundiaí, na noite de ontem, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Jundiaí (STTRJR), Paulo Ataíde Dos Santos, usou a Tribuna Livre para criticar o vereador Roberto Conde (PRB), que teria ofendido os motoristas do transporte municipal na sessão de terça passada. [caption id="attachment_20046" align="alignleft" width="300"]Foto: Alessandro Rosman Foto: Alessandro Rosman[/caption] “Os motoristas estão cheios de multa por não obedecerem os horários dos trajetos e agora querem que paremos fora do ponto de ônibus. Será que ele assina um documento se responsabilizando pelas multas e por eventuais acidentes que aconteçam quando o ônibus parar fora do ponto?”, questionou Ataíde. Conde havia marcado presença para o início da sessão mas não estava no plenário para ouvir as reclamações de Ataíde. Mesmo assim, o presidente do sindicato não poupou críticas ao vereador. “Pedimos que ele levante a b... do gabinete e venha acompanhar a rotina do motorista. Na hora de pedir voto ele não tem vergonha de ir na nossa casa. Muitos motoristas votaram nele porque frequentam a igreja onde ele é pastor. Isso se chama voto de cabresto”. A confusão começou na sessão do dia 27 de março, durante a discussão do Projeto de Lei (PL) 12.277, do vereador Wagner Ligabó (PPS), que altera a lei que autoriza os passageiros deficientes, mulheres e idosos a desembarcar fora dos pontos de ônibus. Na ocasião, Conde comentou que alguns motoristas desrespeitavam os passageiros e que recebia muitas reclamações dos munícipes sobre o assunto. Quando voltou ao plenário, Conde rebateu as críticas. “Estão colocando palavras na minha boca para me colocar contra o sindicato. Eu disse que uma ‘minoria’ desrespeita os passageiros”, se defendeu. “Existem motoristas ruins sim, assim como existem políticos ruins. Não estamos no país das maravilhas. Quanto às multas e salários, quem resolve isso é o gestor de transporte”, rebateu o vereador, jogando a bola para Silvestre Rocha, gestor da Unidade de Mobilidade e Transporte (UGMT). Os representantes do sindicato foram convidados pelo presidente da Casa, Gustavo Martinelli (PSDB) a se juntarem com os demais parlamentares no plenarinho da Casa, em reunião fechada, para discutir a questão. A sessão ficou suspensa por 15 minutos.

Notícias relevantes: