Política

Covas passa pela 1ª sessão de quimio


O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, do PSDB, passou pela primeira sessão de quimioterapia na manhã desta terça-feira (29), no hospital Sírio-Libanês, na capital paulista. Na véspera, o tucano recebera o diagnóstico de câncer no sistema digestivo com metástase no fígado. Covas decidiu, por ora, não se licenciar do cargo. Essa foi a primeira de uma série de três sessões de quimioterapia pelas quais passará Covas nas próximas semanas. Ele deve continuar internado pelo menos até sexta-feira (1º) porque também trata de tromboembolia nos pulmões. Segundo os médicos, o prefeito não precisará ficar internado nas próximas duas sessões. Nesta terça, por determinação de Covas, os secretários municipais reuniram-se na prefeitura para receber orientações. Na reunião foi exibido um vídeo enviado pelo prefeito, do hospital, no qual ele diz que é para o trabalho continuar da mesma forma, em ritmo acelerado, e que ele superará a doença. O tom da gravação é de otimismo, com instruções para que os trabalhos permaneçam no mesmo ritmo de antes do diagnóstico. De acordo com pessoas presentes, o clima entre o secretariado era de união neste momento. Na tarde desta terça-feira (29), Covas tem quatro despachos com secretários. O primeiro deles será às 14h, com os secretários de Governo, Mauro Ricardo, e da Fazenda, Philippe Duchateau. Meia hora depois, ele se encontrará com o titular da pasta de Comunicação, Marco Antonio Sabino. Há ainda despachos com o chefe de gabinete, Vitor Sampaio, e o secretário-executivo Gustavo Pires. Covas não deve se afastar do cargo a princípio. Aos médicos, ele disse que tem a responsabilidade de ficar no comando da prefeitura o quanto for possível, mas que também terá a responsabilidade de deixar o cargo se isso for necessário. O câncer de Covas é um adenocarcinoma (que atinge células de glândulas ou secretórias), e está localizado na junção entre o esôfago e o estômago -chamado cárdia. O tumor, até então assintomático, expandiu-se e causou lesões no fígado e nos linfonodos. De acordo com a equipe médica, há apenas uma metástase no fígado. "Nunca vi um diagnóstico tão precoce", afirmou o infectologista David Uip, que tem acompanhado o tratamento do prefeito. A equipe que acompanha Covas também conta com o cardiologista Roberto Kalil Filho, os oncologistas Túlio Pfiffer, Artur Katz e o cirurgião gástrico Raul Cutait.

Notícias relevantes: