Política

De zero a dez, chance de golpe é menos um', diz Jungmann


Ao opinar sobre o comentário do comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, a respeito da impunidade, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse, na manhã desta quarta-feira (4), que o considerou adequado. E que chance de golpe militar é "menos um". Villas Bôas afirmou em rede social na última terça-feira (3), às vésperas do julgamento do habeas corpus preventivo impetrado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no STF (Supremo Tribunal Federal), que repudia a impunidade, o que foi interpretado por alguns como uma forma de pressionar os ministros do Supremo a adotar posição contrária à revisão da prisão em segunda instância. "Se ele fala pela serenidade e pelo respeito às regras, acho que é correto, é bom falar", disse o ministro, em evento no Rio. Durante entrevista coletiva, foi-lhe perguntado se teme novo golpe militar. "De zero a dez, a chance disso é menos um. As Forças Armadas são um ativo democrático hoje no Brasil." Jungmann afirmou ainda que não sabe a quem o general endereçou seu comentário. Disse que conversou com o general e elogiou, na conversa, o que o ministro vê como "uma mensagem voltada para a legalidade." O ministro se recusou a emitir opinião sobre o julgamento em si. "Não vou comentar algo que está sendo decidido hoje. Posso me pronunciar em seguida, mas por ora, não."

LEIA MAIS

Alckmin e Doria amenizam declaração de Villas Bôas

Na véspera de julgamento sobre Lula, comandante do Exército diz repudir impunidade


Notícias relevantes: