Política

Diminuição nos salários dos políticos será votada amanhã


Uma sessão extraordinária acontecerá amanhã, às 9h, na Câmara de Jundiaí, para a votação dos projetos de lei que irão determinar os cortes nos salários de parlamentares e servidores da Prefeitura e da Câmara. Para que a diminuição dos salários, que inclui prefeito, vice, vereadores e assessores, seja aprovada, é necessária a aprovação por parte do Poder Legislativo. Como forma de prevenção, a presença do público não deverá ser permitida. A Prefeitura de Jundiaí informou que o texto que trata dos cortes do Poder Executivo já foi enviado ao Legislativo na quarta-feira (8). O projeto está sendo avaliado pelas comissões competentes, e outro projeto, que altera os salários dos vereadores, deverá ser apresentado por eles próprios. No Executivo, o prefeito, vice-prefeito, gestores, gestores-adjuntos e superintendentes de autarquias e fundações municipais terão redução de 30% nos salários. Já os diretores das unidades de gestão terão diminuição nos vencimentos de 20%. Assessores municipais comissionados das faixas salariais DAC-4 e DAC-5 terão redução salarial de 10% e 5%, respectivamente. A redução até o final do ano dos salários dos agentes políticos e assessores que ocupam cargos comissionados será proporcional, ou seja, o percentual será maior para os que têm vencimentos maiores. A economia aos cofres da Prefeitura prevista com esta medida é de cerca de R$ 5 milhões. Caso aprovada a redução para os vereadores da Câmara de Jundiaí, que também será de 30%, serão mais R$ 3 milhões economizados, chegando a um valor total de R$ 8 milhões. Sobre a destinação destes valores, o prefeito afirmou que ainda não há uma definição. “A utilização deste dinheiro vai ser de acordo com as necessidades que enfrentaremos. Seja na criação de mais leitos de UTI, na área de recursos humanos ou qualquer outro setor que precise. A única certeza é que ele será usado no enfrentamento à epidemia do covid-19. Definimos que quem recebe mais terá um desconto maior. Concluímos que mais cedo ou mais tarde essa decisão teria de ser tomada e que seriam inevitáveis os efeitos econômicos também na prefeitura”, disse. O presidente da Câmara de Jundiaí, Faouaz Taha (PSDB), afirma ser a favor da redução salarial e de toda ajuda que possa ser dada no combate ao novo coronavírus. “É um momento difícil, e o sacrifício deve ser de todos”, comentou. Ele reforçou ainda que a medida foi discutida e apoiada pelos 19 vereadores, e que todos os parlamentares participam das discussões e deliberações do Comitê de Enfrentamento ao covid-19.

Notícias relevantes: