Política

"O momento é para pensar em soluções", diz Faouaz Taha e mais no Pela Ordem


"O momento é para pensar em soluções", diz Faouaz Taha presidente da Câmara de Jundiaí, Faouaz Taha (PSDB), afirmou que as questões envolvendo as eleições deste ano devem ser esquecidas por enquanto, e que o foco deve ser o combate ao novo coronavírus. “O que devemos discutir, cada um nas atribuições do poder que representa, são meios de amenizar e combater essa dor. Meios que protejam nossa cidade e que provoquem reinvenções nas diferentes áreas afetadas.” Impostos zerados para cloroquina  Em medida publicada ontem (26), o governo federal zerou as tarifas de importação de medicamentos como a cloroquina e a hidroxicloroquina, originalmente usados por pacientes com malária, lúpus e artrite. O uso dessas drogas tem sido testado no combate ao novo coronavírus, e é defendido pelo presidente Jair Bolsonaro. Deputados estudam “Taxar” empresários O deputado Wellington Roberto (PL-PB) protocolou no início da semana um projeto de lei que pretende obter recursos de empresários, de forma compulsória, para auxiliar no enfrentamento da pandemia. O deputado Arthur Lira (PP-AL), que integra o chamado “Centrão”, pediu ontem urgência na pauta.<EM>Pelo texto, a União poderia captar 10% do lucro líquido de empresas com patrimônio superior a R$ 1 bilhão. Recompensa por Nicolás Maduro O governo dos Estados Unidos anunciou na quinta-feira (26) que está oferecendo US$ 15 milhões (R$ 76 milhões) como recompensa por informações que levem à captura do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e que estipulou valores também para a prisão de outros integrantes do alto escalão chavista. Por Diosdado Cabello, presidente da Assembleia Nacional Constituinte, por exemplo, o valor é de US$ 10 milhões. CNT pede liberação do trânsito A Confederação Nacional do Transporte (CNT) pediu, ao Supremo Tribunal Federal (STF), a suspensão de decretos de governos estaduais e municipais que restringem o trânsito de veículos e pessoas nas divisas dos estados e limites de municípios. As normas foram editadas pelos governos locais, desde o início do mês, como forma de combater a transmissão do novo coronavírus e o tema está sob relatoria do ministro Luiz Fux. Witzel pede ajuda ao governo federal  O governador do Rio de janeiro, Wilson Witzel, disse ontem (26) que não conseguirá manter as medidas protetivas no estado para conter o coronavírus caso o governo federal não disponibilize recursos, e citou "caos financeiro" ao se referir a esse quadro. De acordo com ele, o prazo final que imagina para esse socorro é a próxima segunda-feira. “A responsabilidade passa a ser deles (governo federal)", afirmou.

Notícias relevantes: