Política

Indicadores do AUJ são melhores que os da Regional de Campinas

anuncio_jj_resultados_AUJ co?pia
Crédito: Reprodução/Internet
O Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ) tem resultados melhores que as demais regionais de Campinas, quando avaliado isoladamente, nos cinco critérios que compõem o Plano São Paulo de retomada da economia, do governo no Estado de São Paulo. De acordo com estudo realizado pela Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus (CEC) da Prefeitura de Jundiaí, os indicadores de capacidade dos sistemas de saúde e de evolução da epidemia de Jundiaí e no AUJ demonstram permanência na Fase 2 Laranja (ver arte ao lado). "Nossa sugestão é de que o cálculo dos indicadores seja feito por Região de Saúde e não pelo Departamento Regional de Saúde 7, de Campinas, que engloba quatro regiões de realidades completamente distintas", informa o gestor de Promoção de Saúde de Jundiaí, Tiago Texera. "Hoje, a condição da saúde dos municípios do AUJ é avaliada com um grupo que reúne 42 municípios, alguns que ficam a uma distância de mais de 100 quilômetros de Jundiaí", explica. Esta avaliação será feita somente para o coronavírus. A mesma lógica pleiteada pelo AUJ foi adotada para a Grande São Paulo, onde o cálculo é feito com divisão própria e de forma mais precisa, após o governo do Estado ter acatado pedido de gestores daqueles municípios. "É o que o prefeito Luiz Fernando Machado também solicitou, por uma questão de lógica. Não queremos reabertura desenfreada e sem respaldo nos critérios técnicos de Saúde, estipulados pelo próprio Estado”, afirma o gestor de Saúde. O Departamento Regional de Saúde de Campinas engloba as cidades das regiões de Jundiaí, Bragança, Circuito das Águas e de Campinas. Tiago lembra que quando Jundiaí enfrentava o pico da pandemia, em junho, o sistema de Saúde da região não ficou sobrecarregado, enquanto a taxa de ocupação de UTI, na região de Campinas bateu nos 100% e permaneceu assim por 15 dias "Nós temos independência, não encaminhamos pacientes covid para tratamento naquela região. Temos um planejamento regional que garante o atendimento a uma população de 815 mil pessoas em sete municípios", garantiu o gestor. O documento disponível pelo governo do Estado indica que a taxa de ocupação de leitos de UTI de Campinas foi determinante para o retrocesso à Fase 1 – Vermelha, depois de permanecer na Fase Laranja mais de 30 dias em junho. Segundo a Unidade de Promoção da Saúde, não houve impacto nos indicadores do AUJ durante a abertura parcial da economia.    

Notícias relevantes: