Política

Juiz absolve Temer de obstrução de Justiça por 'tem que manter isso, viu'?


O magistrado considerou que a acusação era ‘frágil’ – “não suporta sequer o peso da justa causa para a inauguração de instrução criminal”, disse. Cabe recurso da decisão ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), com sede em Brasília, e o Ministério Público avaliará se recorre. “O diálogo quase monossilábico entre ambos (Temer e Joesley) evidencia, quando muito, bravata do então Presidente da República, muito distante da conduta dolosa de impedir ou embaraçar concretamente investigação de infração penal que envolva organização criminosa”, escreveu Bastos. A denúncia foi apresentada pelo ex-procurador da República Rodrigo Janot em 2017 em razão de uma conversa gravada pelo empresário Joesley Batista, do grupo J&F.
Segundo Janot, a fala de Temer “tem que manter isso, viu?” era uma tentativa de silenciar o operador Lúcio Funaro e o ex-deputado Eduardo Cunha, presos na Lava Jato. O ex-presidente sempre negou a acusação. Em sua decisão, Bastos relata que a Procuradoria dizia que o ex-presidente ‘instigou a ideia já preexistente de Joesley Batista para continuidade de pagamentos a Lúcio Funaro, como forma de que este não celebrasse acordo de colaboração premiada, mantendo-o calmo e, em consequência, incentivando-o, com o pagamento dos recursos, a não relatar às autoridades as operações espúrias da J&F ou ilicitudes que envolvessem o próprio Joesley Batista e o grupo político de Michel Temer’.

Notícias relevantes: