Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Lula e Doria “esquecem” diferenças e trocam mensagens

Folhapress | 02/04/2020 | 18:20

Adversários históricos e ferrenhos, o ex-presidente Lula (PT) e o governador João Doria (PSDB) esqueceram as diferenças políticas e trocaram afagos em uma rede social em meio à crise do coronavírus. “Nossa obsessão agora tem que ser vencer o coronavírus. Chegamos ao ponto do Doria ter que mandar a PM invadir fábrica pra pegar máscara. A gente tem que reconhecer que quem está fazendo o trabalho mais sério nessa crise são os governadores e os prefeitos”, escreveu o petista em sua conta no Twitter.

No último sábado, o governador recolheu 500 mil máscaras para profissionais de saúde da empresa 3M. Ele usou uma lei federal de fevereiro deste ano que tipifica uma série de medidas em emergências de saúde pública. A declaração de Lula foi uma crítica indireta ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que vem se opondo a governadores sobre as políticas a serem adotadas na crise.

Doria respondeu ao ex-presidente: “Temos muitas diferenças. Mas agora não é hora de expor discordâncias. O vírus não escolhe ideologia nem partidos. O momento é de foco, serenidade e trabalho para ajudar a salvar o Brasil e os brasileiros”. Também pela rede social, o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (Republicanos), filho do presidente, aproveitou para atacar o ex-presidente e o governador de São Paulo, que tem criticado publicamente o seu pai. “Ainda precisa desenhar? Eis as duas bandas que formam a bunda”, escreveu.

Outro filho do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro escreveu que “o recado de Lula não é de união, é político: neste momento vale a pena PT estar junto do PSDB contra Bolsonaro”. “Antigamente PT e PSDB se fingiam de opositores, o que era conhecido como estratégia das tesouras. Hoje eles não tem mais esse pudor.”

Apesar do aceno ao tucano, Lula ficou de fora de ação da esquerda desta semana. Nesta segunda (30), políticos da oposição -incluindo os ex-candidatos à presidência Fernando Haddad (PT) e Ciro Gomes (PDT)- assinaram carta que pede a renúncia de Bolsonaro. Lula não está entre os signatários. Trocar farpas era algo comum entre os dois. O tucano venceu as eleições de 2016, para a Prefeitura de São Paulo, na onda do antipetismo, e as de 2018, para governador, com o “Bolsodoria”, fazendo referência ao hoje presidente Bolsonaro.

Em 2018, quando disputou o segundo turno com Márcio França (PSB), Doria adotou a estratégia de associá-lo à extrema-esquerda. Em entrevista, referiu-se ironicamente a França como “Márcio Cuba”, para depois se corrigir, e afirmou que o adversário idolatrava Lula. Em maio de 2017, Lula chamou Doria de “almofadinha.”


Leia mais sobre | |
Link original: https://www.jj.com.br/politica/lula-e-doria-esquecem-diferencas-e-trocam-mensagens/
Desenvolvido por CIJUN