Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

RETROSPECTIVA 2017: Luiz Fernando toma posse com cofres vazios

Paulo Behr Ferro . pferro@jj.com.br | 31/12/2017 | 11:23

[vc_row][vc_column][vc_column_text]NOVO PREFEITO E NOVOS VEREADORES

Além da posse de Luíz, ano ainda teve sessões “quentes” da Câmara de Jundiaí, com a apreciação de projetos polêmicos.

LFM

A política de Jundiaí e em todo o Brasil, de forma geral, foi marcada mais por fatos negativos do que positivos este ano. Em janeiro, o prefeito jundiaiense Luiz Fernando Machado (PSDB) – eleito no pleito de 2016 – chegou ao poder dia 1º de janeiro com muitos problemas financeiros, segundo ele “herdados” pela administração anterior, de Pedro Bigardi.

A Câmara da cidade teve momentos tensos, como nas votações do projeto Escola Sem Partido (ESP) e do aumento de até 25% no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).

Em nível nacional, morreu o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, vítima de acidente aéreo em Paraty (RJ); o presidente Michel Temer teve dois processos arquivados pela Câmara Federal contra si, por corrupção e organização criminosa; a chapa Dilma-Temer foi absolvida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE); e a Polícia Federal encontrou o equivalente a R$ 51 milhões do ex-ministro Geddel Vieira Lima (preso este ano) em um apartamento em Salvador.

ENTROU E SAIU DA CÂMARA

iptu

Na sessão do dia 12 de dezembro, o projeto de lei do prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, que previa o aumento do IPTU em até 25% foi retirado da pauta do Legislativo horas antes de ser apreciado. A pressão popular deu resultado e, em plenário, munícipes levaram cartazes pedindo a não votação da proposta.

Além disso, viraram de costas para os vereadores, vaiaram alguns dos representantes da população e mostraram cédulas como forma de protesto mais veemente. O prefeito de Jundiaí admitiu, depois, que errou ao encaminhar o projeto à Câmara.

PROPOSTAS POLÊMICAS

esp

Na sessão de 26 de setembro, os vereadores jundiaienses aprovaram o projeto de lei 12.347, que institui o programa Escola sem Partido (ESP). A Câmara também mudou da Lei Orgânica 125/2016, que proíbe a aplicação da ideologia de gênero nas políticas de ensino municipais.

Professores prometeram recorrer à Justiça em relação a ambas as proposituras e a votação teve muitos cidadãos protestando no plenário, com faixas, cartazes e palavras de ordem.

TRAGÉDIA NO RIO DE JANEIRO

tragedia

Em 19 de janeiro, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, morreu vítima de um desastre aéreo em Paraty, no litoral fluminense. Ele era relator da Operação Lava Jato e a causa do acidente ainda não foi totalmente esclarecida pelas autoridades competentes.

Um fato que também passou a intrigar as pessoas, ligado à morte de Teori, foi o assassinato – em 31 de maio – do delegado da Polícia Federal, Adriano Antônio Soares, em Florianópolis, após troca de tiros em uma casa noturna.

Soares era responsável pelo inquérito que apurava a morte de Zavascki. Os processos da Lava Jato no Supremo passaram a ter o ministro Edson Fachin como relator.

CONDENADO

condenado

Em 12 de julho, o juiz Sérgio Moro aplicou pena de 9 anos e 6 meses de prisão ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no processo do triplex do Guarujá.

O imóvel foi supostamente recebido como propina pelo petista da empreiteira OAS, em troca de favores na Petrobras. No dia 10 de maio, Lula foi a Curitiba para depor.

PEQUENA RESERVA FINANCEIRA

geddel

No dia 6 de setembro, a Polícia Federal encontrou o equivalente a R$ 51 milhões, em reais e euros, num apartamento em Salvador. A fortuna era do ex-ministro Geddel Vieira Lima, antigo braço direito do presidente Michel Temer.

Geddel guardava o dinheiro em malas e caixas e o imóvel servia como um “bunker”, espécie de esconderijo superprotegido, bastante usado por ditadores e traficantes de drogas. No dia 8, o ex-ministro foi preso de novo (estava solto por ter conseguido habeas corpus), pois a suspeita da PF é que as cédulas apreendidas têm origem ilícita.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]


Leia mais sobre | | | | |
Link original: https://www.jj.com.br/politica/retrospectiva-2017-luiz-fernando-toma-posse-com-cofres-vazios/
Desenvolvido por CIJUN