Política

Reunião na Câmara com gestor e mais no Pela Ordem

Na próxima terça-feira (28), às 9h, a Comissão Especial da Câmara Municipal de Jundiaí, criada para acompanhar a situação econômica do município diante da pandemia, se reunirá com o gestor de Governo e Finanças da Prefeitura, José Antonio Parimoschi, que irá apresentar as medidas já adotadas pelo Executivo e o plano de recuperação econômica. A reunião será transmitida ao vivo pela TV Câmara e pela internet. Dólar bate novo recorde a R$5,66 O dólar comercial fechou em alta de 2,54%, vendido a R$5,668, após a saída do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Com o resultado, a moeda bateu o recorde nominal (sem considerar a inflação) de fechamento desde a criação do Plano Real pelo terceiro dia seguido e fechou a semana com alta de 8,25%. Fernando Henrique pede renúncia O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso pediu a renúncia de Jair Bolsonaro (sem partido) nesta sexta-feira (24). "É hora de falar, o senhor presidente está cavando sua fossa. Que renuncie antes de ser renunciado. Poupe-nos de, além do coronavírus, termos um longo processo de impeachment. Que assuma logo o vice para voltarmos ao foco: a saúde e o emprego", escreveu nas redes sociais. “Saída não é boa”, diz Mourão O vice-presidente Hamilton Mourão disse na sexta-feira (24) que o pedido de demissão do ministro da Justiça, Sergio Moro, é uma perda para o governo e ressaltou que ele vinha fazendo um bom trabalho na pasta. "O Moro é um cara muito bom e excepcional. Eu acho que ele vinha fazendo um bom trabalho. Mas relação é relação, né", disse. "Não é bom, mas vida que segue", acrescentou. Governadores se solidarizam Governadores pelo país lamentaram a demissão de Sergio Moro do Ministério da Justiça e elogiaram o trabalho do ex-juiz da Lava Jato. Alguns, como Wilson Witzel (PSC-RJ) e Ratinho Júnior (PSD-PR), ofereceram a Moro cargos em seus governos. Parte dos governadores, como Flávio Dino (PC do B-MA), também criticaram Jair Bolsonaro, afirmando que Moro indicou crimes cometidos pelo presidente ao anunciar sua demissão. Diretor da Abin é cotado para PF O diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, é um dos cotados por Jair Bolsonaro para substituir Maurício Valeixo no cargo de diretor-geral da Polícia Federal. Ramagem foi o chefe da equipe de segurança do presidente na campanha de 2018. Bolsonaro disse que não estava contente com as atuações da PF na investigação do caso Marielle, assim como o da facada que recebeu.

Notícias relevantes: