Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Sérgio Moro fala em revanchismo

FOLHAPRESS | 28/06/2019 | 20:23

O ministro da Justiça, Sergio Moro, chamou de ataques as reações ao vazamento de mensagens trocadas por ele quando era juiz da Lava Jato e agradeceu pelo apoio do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), ao receber dele a Ordem do Ipiranga, nessa sexta-feira (28), no Palácio dos Bandeirantes.

“Nas últimas três semanas, tenho sofrido vários ataques. Achei que a Operação Lava Jato tinha ficado para trás, mas um certo revanchismo às vezes reaparece”, disse o ex-magistrado em discurso. Moro classificou o episódio das mensagens como “um falso escândalo” e disse que a Lava Jato faz parte de seu passado, mas foi um passo decisivo para combater “um padrão de impunidade da grande corrupção” no Brasil.

Doria entregou a faixa da honraria a Moro, o abraçou e, diante das câmeras, ergueu a mão esquerda unida com a do ministro. A Ordem do Ipiranga é a principal honraria do Governo de São Paulo.

Antes, em sua fala, o tucano exaltou a atuação de Moro na Lava Jato e a parceria feita com ele, já como ministro, para a transferência de líderes do PCC (Primeiro Comando da Capital) que estavam em penitenciárias do estado.

“O Brasil precisa de mais Moros e menos Lulas”, falou Doria, sob aplausos. Em seguida, ao comentar os recursos recuperados após o trabalho da Lava Jato, o tucano disparou contra o partido do ex-presidente Lula.

“Graças à Operação Lava Jato, o Brasil está recuperando mais de R$ 13 bilhões desviados pela corrupção de governos petistas, de corrupção de governos do PT. É preciso deixar claro e consignado que foram governos petistas que contribuíram para assaltar os cofres públicos e roubar a consciência de brasileiros”, enfatizou.

Ainda sobre o antagonismo entre Lula e Moro, o governador disse: “Não foi uma batalha pessoal de um contra o outro. Se houve uma causa na prisão de Lula, foi a causa da verdade contra a mentira. E, para o bem do Brasil, venceu a verdade, venceu o Brasil, venceu Sergio Moro”.

Doria se referiu à entrega da medalha a Moro como “um momento histórico para São Paulo”. Disse que o ex-juiz é “um grande patriota, um grande brasileiro”. “Se não fosse este homem, liderando um grupo de patriotas, com juízes, com desembargadores, com promotores, nós não teríamos a Lava Jato no Brasil, e não teríamos trancafiados em prisões aqueles que usurparam, roubaram e enganaram os brasileiros”, afirmou o governador.

Ele disse ainda que “o início de um esquema criminoso começou em São Paulo” e mencionou, sem citar o nome de Lula, que “o tríplex” e “o sítio” ficam no estado.


Leia mais sobre
Link original: https://www.jj.com.br/politica/sergio-moro-fala-em-revanchismo/
Desenvolvido por CIJUN