Região

Conheça os sintomas da varíola dos macacos e onde buscar atendimento em Várzea Paulista

Município teve o primeiro caso confirmado da doença na última quarta-feira (27) e paciente e seus familiares já estão sendo acompanhados


Divulgação
Varíola dos macacos
Crédito: Divulgação

Na última quarta-feira (27), foi confirmado o primeiro caso de Varíola dos Macacos em Várzea Paulista. O paciente contraiu a doença fora da cidade e recebeu acompanhamento médico. Ele e seus familiares estão sendo acompanhados pela Vigilância em Saúde.

Pacientes que apresentem sintomas como febre, gânglios inchados, calafrios, exaustão e feridas no corpo podem buscar atendimento nos serviços de saúde do município, como nas UBSs e no CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento) de segunda a sexta-feira, das 7 às 16 horas e na UPA 24 horas por dia, todos os dias da semana.

De acordo com o gestor municipal de saúde, Fernando Collange, o município já está em alerta para detectar os possíveis casos e as equipes técnicas já se reuniram para definir fluxos e protocolos efetivos. “Já temos um fluxo de atendimento definido e os gerentes das Unidades Básicas de Saúde, do CTA e responsáveis pela UPA estão todos cientes dos protocolos para verificar todas as possíveis suspeitas de varíola dos macacos”, relata.

Na quinta-feira (28), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) criou um Comitê Técnico da Emergência Monkeypox (varíola dos macacos) para que as áreas técnicas de pesquisa clínica, de registro, de boas práticas de fabricação, de farmacovigilância e de terapias avançadas atuem em processo colaborativo, inclusive com os profissionais de saúde e a comunidade científica. Além disso, a OMS (Organização Mundial da Saúde) decretou no último sábado (23) que a varíola dos macacos é uma emergência sanitária global, com mais de 16 mil casos confirmados em 75 países.

Como ocorre a contaminação?
A transmissão da varíola do macaco ocorre por contato, seja de pele ou de gotículas de secreção. Além disso, atualmente o padrão de transmissão está associado à atividade sexual, em 95% dos casos.
• Contato direto com as lesões de pele de uma pessoa infectada ou com fluidos corporais;
• Secreções respiratórias durante contato prolongado, face a face, ou durante contato íntimo, como beijo, carinho ou sexo;
• Tocar em itens (como roupas ou lençóis) que foram usados por alguém com a doença.

Quais os sintomas da varíola dos macacos?
O vírus da Monkeypox faz parte da mesma família da varíola e o atual surto não tem a participação de macacos na transmissão para seres humanos.


Notícias relevantes: