Acervo

Apreensões de cartões chegam a 38 só este ano


PONTO DE ONIBUS RAPIDO LUXO CAMPINAS PRACA RUI BARBOSA
Crédito: Reprodução/Internet
As apreensões de cartões de transporte público utilizados irregularmente por usuários têm se tornado frequente em diversas cidades da Região. Em Jundiaí e Campo Limpo não é diferente. Só em Jundiaí, segundo dados da Unidade de Gestão de Mobilidade e Transporte (UGMT), este ano foram 38 apreensões de cartões destinados à pessoas com deficiência e de idosos e que estavam sendo utilizados por outras pessoas. Durante todo o ano de 2018, foram 237 apreensões na cidade. Segundo a unidade de transporte, as apreensões ocorrem durante verificação realizada pelos fiscais das concessionárias, verificações eletrônicas de uso, cobradores, motoristas e denúncias de usuários. As sanções são variadas e vão desde suspensão temporária até bloqueio definitivo do cartão. Em Campo Limpo Paulista, em um único dia, foram registradas 12 apreensões das mais diversas naturezas, mas a maioria era referente a cartões cujos beneficiários tinham gratuidade no uso do transporte público. Neste caso todos os cartões foram recolhidos pelos fiscais e os proprietários poderão perder os benefícios. EM CAMPO LIMPO De acordo com Rápido Luxo Campinas, concessionária que administra o transporte público em Campo Limpo Paulista, o número de gratuidades no município chega a 25%. Isso significa dizer que um quarto da população usuária do serviço não paga pelo mesmo. Com esta crescente, a empresa colocou diariamente um fiscal na catraca do terminal para comprovar as fraudes e desvios de uso nas gratuidades. No último dia 8, quando as apreensões foram realizadas, a empresa registrou um Boletim de Ocorrência para que a Polícia Civil tome as providências cabíveis. Os cartões de benefícios do município, sejam eles o "Jovem 21", com concessão de 70% em relação à tarifa vigente de R$ 4,30, o "Escolar", desconto de 50%, e os cartões "Idoso" e "Deficiente", com 100% de gratuidade, são pessoais e intransferíveis e nestes casos não podem ser usados por terceiros ou parente e também não podem ser vendidos a golpistas e cambistas. Um dos casos que mais preocupa a concessionária é o denominado cartão "Jovem 21", que concede desconto de 70%. Qualquer pessoa nessas condições pode pedir um cartão, emprestá-lo ou vendê-lo a um terceiro, o que configura o desvio de uso e, consequentemente, prejudica os demais usuários e pagantes da tarifa. De acordo com a empresa, o uso indevido desses cartões, ocorrência constante na cidade, acarreta prejuízos aos demais usuários pois influencia diretamente no cálculo da tarifa, além de prejudicar investimentos em renovação de frota e em melhorias na prestação de serviços. O uso indevido causa a chamada evasão de receita e, com menos receita, a concessionária também acaba com os seus projetos de melhorias impactados. A empresa ainda esclarece que toda a política tarifária e concessão de benefícios dentro de qualquer município é de prerrogativa e responsabilidade do Poder Executivo. Portanto, cabe ao município rever as gratuidades e os critérios de concessão das mesmas.

Notícias relevantes: