Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Óbitos no AUJ crescem em 70% em 12 dias

KÁTIA APPOLINÁRIO | 13/06/2020 | 05:00

O número de mortes por covid-19 nas cidades do Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ) dispararam no mês de junho. Até o dia 31 de maio, 101 óbitos eram registrados. No entanto, nos últimos 12 dias, 71 vítimas entraram para a lista de falecimentos causados pelo vírus, o que representa um crescimento de 70% no período. Já incluindo os óbitos, Jundiaí registra 1.881 casos positivos da doença.

Com três novas mortes confirmadas nesta sexta-feira (12), Jundiaí chegou a marca de 107 vítimas, sendo 33 falecimentos apenas neste mês. Isso equivale a aproximadamente 2,75 mortes por dia. De acordo com a Unidade de Gestão e Promoção da Saúde (UGPS), caso os falecimentos continuem neste ritmo, a perspectiva é que até o final de junho sejam registradas 150 mortes por covid-19.

Vale ressaltar que 88,7% das vítimas na cidade apresentavam histórico de comorbidades, sendo as doenças cardiovasculares a ocorrência mais frequente, seguida dos diabéticos e portadores de doenças respiratórias. Além disso, 77,5% das vítimas estavam internadas no Hospital São Vicente (HSV), o que equivale a 83 pacientes na rede pública de saúde. Os demais receberam tratamento em hospitais particulares ou foram encaminhados para outros locais de atendimento.

De acordo com o integrante do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus (CEC) e gestor de saúde da UGPS, Tiago Texera, a cidade passa por um momento decisivo no enfrentamento da doença. “Estamos atravessando a fase mais crítica da covid-19 em Jundiaí e região, que é o pico, ou platô da pandemia. Nesse momento é esperado maior quantidade de casos, até pelo nosso modelo de testagem. Estamos testando 5,2% da nossa população e até agora o sistema está apto para atender os pacientes sem que haja a falta de leitos”, ressalta.
Para absorver a demanda de pacientes, foi feita uma ampliação de leitos no Hospital São Vicente, motivo pelo qual a taxa de ocupação caiu nos últimos dias e até a tarde de ontem (12) estava em 64% do total de leitos de UTI voltados exclusivamente para pacientes com covid-19. Na rede privada, por sua vez, a ocupação geral da UTI apresentava uma taxa de ocupação de 75%.

Com o município no topo da curva de contágio, ele explica que o cenário deve assim permanecer pelos próximos dois meses. “O pico da pandemia deve se estender até o final de julho. A previsão é que a partir de agosto ocorra a diminuição do número de casos e, consequentemente, de óbitos”, explica.

O disparo de casos ocorreu logo após a reabertura do comércio, no entanto, o gestor alertou sob a possibilidade da interrupção das atividade econômicas mais uma vez. “Havendo piora nos indicadores temos a possibilidade de regredir para a faixa vermelha do Plano SP que permite apenas o funcionamento de serviços essenciais. Espero que essa possibilidade não se concretize e que a população tenha consciência, evitando sair de casa, a não ser quando é realmente necessário”, reitera o gestor.

NA REGIÃO
Nas demais cidades da região, o crescimento dos casos ocorreu de forma parecida. Com 19 falecimentos registrados, em Campo Limpo Paulista houve um aumento de 46% no número de mortes desde o início do mês. No entanto, o número de casos positivos teve um crescimento de 21,2% nos últimos 12 dias, contabilizando atualmente 97 infectados. Para o prefeito Japim Andrade, os índices estão dentro do esperado, principalmente considerando a reabertura do comércio. “Sentimos que a reabertura regional não nos trouxe grandes consequências, uma vez que, demoramos mais de 10 dias para duplicar o número de casos. Se nos for recomendado o fechamento, acataremos a medida.”

Em Itupeva, até o final de maio haviam duas mortes registradas. Após 12 dias, a cidade contabiliza nove óbitos. Além disso, foram acrescentados mais 30 casos à lista dos positivos, totalizando 92 infectados. Para impedir que a propagação do vírus continue nesse ritmo, o município adotou uma série de medidas, como a desinfecção das ruas, a criação de sentinelas, a ampla testagem, além de outras ações em prol da saúde local.

Várzea Paulista contabiliza 219 casos positivos e 18 mortes pelo vírus. Cabreúva, por sua vez, registra 121 confirmações e quatro mortes. Em Jarinu, até o dia 10 haviam 69 positivos e 11 óbitos. Já Louveira contabiliza 104 positivos e quatro falecimentos.

De acordo com levantamento diário feito pelo Ministério da Saúde, o país tem 828.810 casos confirmados da doença, e 41.828 mortes foram registradas. Os casos recuperados somam 365.063.

“Estamos atravessando a fase mais crítica da covid-19”, afirma Tiago Texera

 

 Japim Andrade diz que em Campo Limpo Paulista os casos estão controlados


Leia mais sobre | |
Link original: https://www.jj.com.br/regiao/obitos-no-auj-crescem-em-70-em-12-dias/
Desenvolvido por CIJUN