Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Operação em autoescolas prende 3 e indicia 4

| 12/04/2014 | 09:03

Operação da Corregedoria Geral de Administração, com apoio de fiscais do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de São Paulo, prendeu, nesta quarta-feira (16), três pessoas e indiciou outras quatro durante apuração de denúncias de irregularidades em autoescolas de Várzea Paulista.

Em um estabelecimento, localizado na avenida Fernando Dias Paes Leme, 2618, na Vila Santa Terezinha, duas irmãs que trabalhavam como instrutoras e o proprietário foram presos em flagrante, acusados de uso de documento falso. Em outro, na avenida Bertioga, 648, na Vila Popular, o proprietário e três funcionários foram indiciados por falsidade ideológica.

De acordo com a Polícia Civil, durante a fiscalização na autoescola da Vila Popular, denominada Nossa Senhora Aparecida, corregedores apuraram que as credenciais solicitadas das duas instrutoras eram falsas, uma vez que não haviam sido confeccionadas em papel moeda e não estavam registradas no Detran.

“Indagadas onde haviam feito o curso e adquirido as credenciais, as autuadas deram várias versões: ora em São Paulo, ora em Santo André e em outras cidades”, explicou o delegado responsável pelo auto de prisão em flagrante, Osmany Pinheiro Machado, assistente do delegado titular de Várzea Paulista, Antonio Dota Jr.

Além das irmãs, de 34 e 40 anos, que foram encaminhadas à Cadeia Feminina de Itupeva, o proprietário da autoescola, um comerciante de 42 anos, foi recolhido no Centro de Triagem de Campo Limpo Paulista.

Falsidade ideológica
De acordo com o delegado Dota Jr., foi instaurado inquérito policial para apurar a conduta do proprietário, do diretor e de dois instrutores da Autoescola Siga Bem, na Vila Popular, após a constatação de que dois alunos haviam registrado presença no dispositivo biométrico, mas não estavam no local para a realização de aulas.

“Diante das irregularidades administrativas, foram todos os envolvidos apresentados nesta unidade, onde foi instaurado inquérito policial devido à complexidade dos atos administrativos a serem apurados”, comentou Dota Jr. Implementado por Detrans de todo o País para evitar fraude na obtenção da carteira de habilitação, o sistema biométrico registra a chegada e saída de alunos.

Há um limite de cinco minutos para eventuais retardatários e a contagem de tempo da hora/aula é feita a partir da chegada do último aluno. Durante a aula, é feita a fiscalização: no mínimo dois alunos por sala – escolhidos pelo próprio sistema – são chamados para confirmar sua presença no local.


Link original: https://www.jj.com.br/regiao/operacao-em-autoescolas-prende-3-e-indicia-4/
Desenvolvido por CIJUN