Acervo

Leitora denuncia valor de máscaras descartáveis em uma casa cirúrgica


CORONA VIRUS MASCARA
Crédito: Reprodução/Internet
A leitora Marisse Mozelli procurou a reportagem do JJ para denunciar o valor das máscaras descartáveis em uma casa cirúrgica de Jundiaí.
"Eu sou esteticista e faço o uso constante de máscaras para os procedimentos. Fui comprar a caixa com 50 unidades e paguei R$80. A caixa custava R$12. Achei um absurdo. Me senti lesada como cliente da loja", conta a leitora.
Marisse ainda lembra que em outros países, como os Estados Unidos, quando acontece uma fatalidade, itens básicos como água e alimentos não podem ser reajustados, pela lei. "Infelizmente, pessoas oportunistas utilizam de situações difíceis para se beneficiar. Estou indignada com a situação", afirma.
Procon São Paulo
A Escola de Proteção e Defesa do Consumidor, da Fundação Procon de São Paulo (Procon-SP) fará um levantamento dos preços de máscara de proteção e álcool gel para verificar se os estabelecimentos estão cobrando valores abusivos por causa do surto de coronavírus.
O Procon-SP informou que serão verificados os preços cobrados neste mês por várias marcas dos dois produtos em 15  farmácias que cobrem as cinco regiões da capital paulista e compará-los com os preços vigentes em fevereiro de 2019. A entidade também vai apurar qual a forma de comercialização da máscara de proteção e do álcool gel e se a quantidade para venda está sendo fracionada para que todos tenham acesso aos produtos. “Caso o levantamento aponte aumento injustificado e abusividade nos preços, as empresas poderão ser multadas”, informou, em nota, o Procon-SP. O resultado da pesquisa deve sair na primeira quinzena de março.

Notícias relevantes: