Acervo

Para a saúde, esqueça produtos prontos e vamos falar de sucos


NATÁLIA AMORA, NATURÓLOGA
Crédito: Reprodução/Internet
Não raramente as avós usam e recomendam receitas caseiras para alguma doença ou mazela. Elas sabem que se as frutas e verduras parecem frágeis, pois amassam, ressecam e apodrecem facilmente, mas, quando ingeridas, mostram a força que têm. E como o tempo passa e algumas coisas não mudam, os remédios naturais, mesmo que deixados um pouco de lado na modernidade, ainda existem e estão voltando à tona. O motivo é que cada vez mais as pessoas têm buscado métodos naturais em detrimento de tratamentos artificiais para uma vida mais saudável.

CORPO SÃO

No quesito sabor, os sucos não costumam deixar a desejar, ao contrário de muitos remédios. E com a necessidade de uma imunidade reforçada para prevenir doenças, nada mais adequado que um bom suco em vez de suplementos artificiais sem necessidade. Natália Bê Amora, naturóloga e acupunturista, garante que os sucos podem ser como remédios, principalmente na prevenção de doenças. “Os ingredientes dos sucos contêm propriedades curativas. Alguns têm cálcio, magnésio, ação anti-inflamatória, antibactericida, antiviral, desintoxicante”. Natália, porém, lembra que “existem vários biotipos, falando na saúde de cada indivíduo, mas com certeza o suco ajuda a equilibrar o organismo como um todo”. A naturóloga também sugere ingredientes que podem ser amplamente consumidos. “Pensando em um suco onde possamos ajudar a todos, sem grandes restrições, seria: couve, água de coco, maçã, gengibre, limão, hortelã, cúrcuma, própolis e mel. As combinações são bem pessoais, eu mesma gosto de misturar todos esses ingredientes. Gosto de acrescentar banana”. De todo modo, Natália lembra que “vale uma consulta individual com um naturólogo, nutrólogo ou nutricionista, caso você já tenha algumas restrições alimentares”, além de descobrir o que se adapta melhor ao seu objetivo e para o organismo.

NATURAL

“As pessoas se suplementam por si. Suplementação deve ter orientação de nutricionista e médico”, fala Val Martins, nutricionista e proprietária de um restaurante natural e orgânico em Jundiaí. Sobre o perigo da suplementação por conta, Val alerta que, “por exemplo, a vitamina D está sendo bastante procurada, mas não deve ser ingerida por quem não tem deficiência. É perigoso porque o corpo não elimina a vitamina D como acontece com outras, como a C e a A”. Já sobre a ingestão das vitaminas através do consumo de alimentos naturais, a nutricionista fala que não há restrição, pois a dose não está isolada e a absorção é diferente. As vitaminas e os minerais são substâncias necessárias para as reações químico-biológicas do organismo. Com isso, o funcionamento do sistema imunológico também está ligado à ingestão desses compostos. “Com a imunidade alta, a gente tem menor chance de pegar um vírus”, explica Val.

IMUNIDADE

Maria Isabella Catarina Schnell também é nutricionista e trabalha com alimentação vegetariana. Ela reitera a importância do consumo de alimentos naturais e sucos para reforçar o sistema imunológico, mas lembra que, na busca por uma vida mais saudável, agir só no momento de uma pandemia não fará o organismo melhorar de uma hora para outra. “Tem que ser um hábito no café da manhã, já sair de casa protegido.” Maria também levanta a bandeira da alimentação antes da suplementação. “Antes de suplemento, a pessoa precisa aprender a comer. A alimentação é mais importante, dormir bem, atividade física”. “Consumir no dia a dia verduras verde-escuras, brócolis, chicória, espinafre (fontes de clorofila, ferro e vitamina C) e abóbora e cenoura (fontes de vitamina A)”, sugere ela. Maria diz que os sucos verdes estão na moda e trazem muitos benefícios, já que “os vegetais verde-escuros têm vitaminas, minerais e fibras, que regulam o intestino. O intestino equilibrado está relacionado a uma imunidade mais forte”. “No meu modo de ver, é uma forma fácil, rápida e gostosa das pessoas aumentarem o consumo de vitaminas e minerais”, comenta a nutricionista. Ela diz que costuma personalizar os ingredientes do suco de acordo com as necessidades de cada pessoa, mas cada suco é composto por “cinco regras”. “Couve, banana e limão, por exemplo, já fazem um suco verde e são ingredientes de fácil acesso”, garante ela. A nutricionista faz lives no Instagram sobre alimentação saudável, dando dicas e ensinando receitas, e diz que há procura pelo conteúdo porque “o grande lance de hoje é correr atrás do prejuízo, de comer mal e ter hábitos ruins. As pessoas estão carentes de informação e buscam o que é certo”.

RECEITAS

A nutricionista Val Martins ensina uma receita de suco que, segundo ela, deve ser consumido todos os dias em jejum: “1 folha grande de couve; 1 colher de sopa de gengibre; 1 fatia de abacaxi e; 1 copo de água”. Ela também recomenda, em jejum, o shot da proteção, feito com “suco de um limão, 20 gotas de própolis e uma colher de café de cúrcuma”. Esta receita tem propriedades anti-inflamatórias, além da vitamina C.   A nutricionista Maria Isabella Schnell conta que há “cinco regras” para um suco: “1 folha verde-escuro, como couve, por exemplo; 1 copo de um líquido, que pode ser água, chá de cavalinha, erva-doce, hortelã; 1 fonte de vitamina C, como limão ou maracujá; 1 fruta doce, que pode ser banana, manga, mamão e; 1 semente, que é opcional, dependendo da fruta utilizada, já que algumas já têm sementes, mas pode-se utilizar linhaça, chia, girassol”.   [caption id="attachment_88157" align="aligncenter" width="601"] NATÁLIA AMORA, NATURÓLOGA[/caption]

Notícias relevantes: