Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Quando consumir alimentos crus vira uma opção de vida

FELIPE TOREZIM - ftorezim@jj.com.br | 17/03/2018 | 20:47

Rejeitar aquela carne mal passada ou uma sobremesa deliciosa não se trata de uma tarefa fácil para quem pretende perder peso ou está iniciando uma dieta. Através dessa mesma realidade, o crudivorismo requer um período de adaptação. De acordo com a nutricionista, Maria Isabella Catarina Schnell (41), os adeptos deste tipo de alimentação utilizam ingredientes crus como base principal para as suas refeições. “As frutas, vegetais (folhas, cenoura, tomate, pepino, rabanete, raízes), oleaginosas (castanhas e sementes) e leguminosas (feijões e cereais, desde que sejam germinados) fazem parte dos principais alimentos dos crudivoristas.” Isabella é vegetariana desde 2008 e vegana há pelo menos um ano. “Para quem não sabe crudivorista também pode ser considerado uma pessoa vegana”, explica.

CRUDIVORISMO CONSOMEM ALIMENTOS SEM COZIMENTO ISABELLA SCHNELL

Sobre o processo de adaptação, a nutricionista ressaltou quais foram os seus principais desafios. “O processo de adaptação ao primeiro hábito alimentar foi tranquilo, pois o ovo substitui muito bem a carne nas refeições principais. No entanto, para o veganismo, a transição foi um pouco mais difícil, pois os alimentos devem ser preparados exclusivamente em casa, eliminando o leite e os ovos.” Entre os pontos favoráveis dessa mudança, as refeições e as sobremesas preparadas por Isabella também passaram a ser bem mais saudáveis. “A confeitaria de modo geral utiliza muitos derivados de leite (leite condensado, creme de leite e chocolate ao leite) e ficar sem isso, principalmente no começo, foi muito difícil. Porém, aprendi a substituir os ingredientes por frutas e o resultado é muito satisfatório, através das deliciosas tortas, pães e queijos de castanha, além do prato principal, a partir de inúmeras receitas de risotos.”

Embora muitas pessoas do convívio de Isabella tenham ciência do seu hábito alimentar, a nutricionista revelou que sempre é convidada para provar uma torta de limão ou aquele pavê de chocolate delicioso. “Esses convites acontecem frequentemente, tanto dos meus familiares quanto em reuniões sociais. Eu levo isso na boa. Já estou acostumada e eles também, afinal nunca aceito um pedacinho”, comenta com bom humor. Para quem deseja seguir o crudivorismo, Isabella explica que a substituição da carne por vegetais é um processo que traz vantagens econômicas e que melhora a qualidade da alimentação. “Para ingressar neste conceito é importante passar por uma avaliação, através de um nutricionista, que irá verificar se o paciente está se alimentando de maneira adequada, ou seja, ingerindo 15% de proteína (feijões e castanhas), 55% de carboidrato e 30% de gordura. Além disso, o profissional terá que verificar se o paciente está utilizando adequadamente vitaminas e minerais.”

Escolha consciente
O empresário e professor de Yoga, Thiago Castillo Salin (37) é vegetariano há 20 anos e destaca alguns benefícios deste hábito alimentar. “Ao longo deste período noto que a digestão dos alimentos acontece com mais facilidade em meu organismo, sou uma pessoa muito mais disposta e aumentei o consumo de variedades, desde castanhas, grãos, frutas, hortaliças até pratos mais elaborados, com riqueza de nutrientes e minerais.”
Segundo o empresário, o hábito alimentar também é comum entre a sua esposa (Michele Chow) e o filho (Yan). “Nós escolhemos esse tipo de alimentação, como um instrumento de nutrição, saúde e bem-estar”, encerra.


Link original: https://www.jj.com.br/saude/quando-consumir-alimentos-crus-vira-uma-opcao-de-vida/
Desenvolvido por CIJUN