Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Nova York não se cansa de ser encantadora

| 07/10/2014 | 22:36

Escrever sobre Nova York é “chover no molhado”. Há milhares de excelentes matérias sobre “a cidade que nunca dorme”, com os mesmos e obrigatórios passeios ou programas alternativos. Muitos dizem que a cidade americana é igual a São Paulo, com congestionamento caótico, milhares de edifícios enormes, gente correndo de um lado para outro.

Mas também tem o outro ponto de vista. A magia de chegar à cidade, que oferece ao seu visitante inúmeros atrativos culturais, outras milhares de opções de restaurantes do mundo todo e a atmosfera de estar no centro do mundo, sem esquecer das famosas compras, pode ser comparada ao sentimento que uma criança tem quando chega a um dos parques da Disney. É indescritível.

Mas vamos ao que interessa. Além dos pontos turísticos básicos para se visitar, como a Estátua da Liberdade, Empire State, Museus e Central Park, Nova York possui uma infinidade de passeios alternativos interessantes, inclusive nos bairros no entorno de Manhattan. Mesmo com todo o tempo do mundo que o visitante tiver para gastar em Nova York, pode ter certeza que não será suficiente para conhecê-la por inteiro.

Uma ótima opção para ter uma ideia do que é Nova York é por uma vista aérea. O passeio de helicóptero é um pouco salgado, girando em torno dos US$ 200,00 por 15 minutos, mas a sensação de ver seus atrativos de cima é muito compensadora. Antes do atentado de 2001, as aeronaves podiam se aproximar da Estátua da Liberdade e do Centro de Manhattan. Agora só é permitido ao longo do Rio Hudson e suas proximidades, mas mesmo assim vale a pena.

Outro passeio muito bonito, que permite ver o skyline de Manhattan, é o passeio de barco. Há vários tipos e com diversos horários à sua escolha, inclusive com jantar. O que fiz tinha duração de 90 minutos e passava pelas pontes no entorno de Manhattan. Ao chegar próximo à Estátua da Liberdade, a embarcação ‘estacionava‘ para podermos tirar as famosas fotos da ilustre senhora ao fundo.

E você sabia que Manhattan tem um bondinho, parecido com o do Pão de Açúcar, no Rio? Pois existe. O cable car sai da 2° Avenue perto da 59 Street e é transporte para os moradores da Roosevelt Island, uma ilha estreitinha que fica entre Manhattan e o bairro do Queens, em Long Island. A ilha é pequena, mas charmosa e tem vários restaurantes. Mas se você só quer apreciar a maravilhosa vista ao lado da Queensboro Bridge e tirar lindas fotos, o bondinho sai de cinco em cinco minutos da estação. O valor é de US$ 5,00 ida e volta, mas se você já tiver o cartão do metrô Metrocard, ele sai de graça.

Outro passeio interessante é visitar uma das praias de Nova York. Tem para todos os gostos e bolsos. Isso mesmo, bolsos. O conjunto de praia de Hamptons, ao norte de Nova York, é literalmente para ‘ricos‘. A cerca de três horas da ilha você encontra as praias chiquérrimas, com casas de personalidades como Billy Joel, Steven Spielberg, Sarah Jessica Parker, entre outros. Para chegar ao local de carro é necessário pagar uma alta taxa e não há hotéis na região.

Já a Rockaway Beach, no Queens, atrai surfistas e famílias. Há também as opções de Riviera do Bronx, Brighton Beach, Long Island, entre outras. Todas são de fácil acesso, podendo chegar até lá de metrô ou trem. Eu fui conhecer Coney Island, conhecida pelos seus lindos parques de diversões e pelo famoso cachorro quente do Nathan‘s. Diz a lenda que o sanduíche nasceu nessa lanchonete. Se é verdade ou não, não importa, o hot dog é delicioso. É ele que promove aquela competição anual de quem come mais cachorro quente. A praia lembra a Praia Grande, na Baixada Santista, incluindo algumas rochas no mar. A água é gelada mesmo no verão, mas as pessoas não ligam muito para isso.

A viagem para Coney Island pode ser feita de metrô, a partir de Manhattan, e dura em média 50 minutos. A estação final em Coney Island fica a um quarteirão da praia. Na avenida da praia, onde estão os parques de diversões, há outras lanchonetes igualmente conhecidas como a Rudy‘s, aberta em 1940, e onde você pode experimentar os diversos tipos de cerveja feita em Coney Island. Também é possível fazer um passeio de um dia a partir de Nova York. São várias as cidades que podem ser visitadas em um bate-volta, como Philadelpia, Atlantic City, Boston, Washington e, por que não, Niagara Falls, no Canadá.

O valor para essa viagem de 15 horas é alto, mas quem gosta de conhecer atrativos da natureza e não pretende visitar o Canadá tão cedo, vale a experiência. Só não pode esquecer que brasileiros necessitam de visto para passar pela imigração, ao cruzar a ponte que liga a cidade americana de Bufallo e a cidade canadense de Ontário. Se não quiser cruzar a fronteira, há a opção de ficar apenas do lado americano, mas vai perder a vista do lado mais bonito.

Esse passeio começa às 5 horas da manhã, quando um agente busca você no hotel e o leva para o aeroporto. O voo para Bufallo é de cerca de uma hora. De lá, é feito um passeio em um catamarã, que chega bem próximo à queda d‘água. Depois disso, um ônibus irá levá-lo para o outro lado, já no Canadá, onde será oferecido um almoço no hotel Sofitel, com uma maravilhosa vista de toda a Niagara Falls. As três cataratas, que se juntam em uma só, são bonitas, mas sem querer ser bairrista, nossa Catarata da Foz do Iguaçu, no Paraná, é imensamente mais espetacular. E como diz o ditado popular, quem vai a Roma tem que ver o Papa, quem vai a Nova York tem que fazer compras. Além das milhares de lojas espalhadas por Manhattan, os brasileiros têm um outlet preferido, o Woodbury Commons, localizado ao norte, a cerca de 100 quilômetros da ilha.

Uma outra opção, que fica mais perto, a cerca de meia hora de carro, é o Jersey Gardens, que fica na vizinha New Jersey. Lá a taxa cobrada é de 7% em produtos que não sejam de vestuários, como roupas e calçados. Em Manhattan essa taxa não é cobrada nos vestuários, mas apenas em produtos com valor abaixo de US$ 110,00. O Jersey Gardens tem praticamente as mesmas lojas do Woodbury, com exceção de algumas marcas de grife, mas ele é coberto, protegendo do sol e da chuva, e está próximo do WalMart, outro ponto de compra que vem ganhando os brasileiros, e da Ikea, uma loja de decoração bem parecida com a nossa Tok Stok.


Link original: https://www.jj.com.br/turismo/nova-york-nao-se-cansa-de-ser-encantadora/

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido por CIJUN