Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

O melhor hambúrguer do Mundo?

| 29/04/2014 | 10:19

Peguei a dica que vou passar aqui em um programa de viagens e comida chamado “Sem Reservas”. O apresentador juntou uma galera respeitável de blogs americanos para eleger o melhor hambúrguer dos Estados Unidos. O restaurante fica em Nova York e eu estava de viagem marcada para lá. Pensei “Vou devorar um destes. Eu quero!”. Sim, sou louco por hambúrguer e não, não tenho vergonha de falar.

O templo onde é servido se chama Minetta Tavern. Fica um pouco acima do SoHo. Parênteses de cultura geral: o bairro se chama SoHo pois é a região que fica ao sul da rua Houston (South of Houston). Por mais que meu telefone “inteligente” me desse a localização correta, não foi muito fácil de ver o lugar.

Não tem um letreiro grande, fica numa esquininha tímida, é todo fechado, achei até que tinha mudado de endereço. Fui às 6 da tarde, para não correr risco de estar lotado. Nem almocei direito de propósito. Sentia minha respiração um pouco mais rápida que o normal quando abri a porta (ansioso).

Dei de cara com uma cortina grossa de veludo vermelho, bem pesada (continuei achando que estava fechado), abri e fui acolhido com um sorriso gigante da hostess. Sério, o lugar é mágico, mesmo semi-vazio.

– Boa tarde, o senhor tem reserva pra que horas?

– É… er… então, na verdade eu não fiz reserva. Por isso vim nesse horário, pra ter mais chance de conseguir lugar.

– Ah, meu senhor, eu sinto mesmo (e ela sentia), mas estamos com reservas para os próximos 2 meses.

– Olha, eu sei que você não tem nada com isso, mas eu vim do Brasil, longe, “where Judas lost his boots”, em classe econômica para experimentar seu hambúrguer. Não tem como me ajudar? (fiz aquela cara de pidão)

– Só um instante que eu já volto…. É o seguinte, o senhor pode sentar no balcão e comer ali, tem problema? Mas mesa eu não vou ter mesmo.

– Deal!

Entrei, fui direto para o bendito balcão, feliz, conseguia ouvir as gargalhadas do meu estômago. O barman, sósia do Amigo da Onça, bigodinho fino, testa larga, anotou meu pedido. Minha cabeça já saboreava o lanche. Eu salivava. O prato veio e o François, sotaque francês carregado, antes de me servir, fez as recomendações.

– Para o senhor sentir todo o sabor da carne, não vá colocar maionese, mostarda ou catchup, ok?

– Sim, tá bom, sem problema.

– E não tire essa cebola caramelizada, ela complementa o sabor como um todo.

– Já entendi, pode ficar tranquilo, como você quiser.

– E deixe para tomar sua Coca depois de um tempo. Sinta bem o sabor da carne grelhada, rosada por dentro, suculenta (eu senti um leve sadismo nessa hora).

– Tá bom!!! Agora me dá aqui esse lanche!!! (sem gritos, só entusiasmo)

A cada mordida, eu soltava ar pelo nariz umas 4, 5 vezes (tem gente que não sabe desse “truque”). Impressionante! Não sobrou meia batata. Meia folha de alface. Quase no fim, eu já não dava mais mordidas, eu roía o lanche, para demorar mais para acabar. Será que é normal/compreensível sentir esse imenso prazer em comer? Sem problemas, vivo fácil com isso! Na volta da viagem eu me viro com alguns shakes e barras de proteína…

MINETTA TAVERN 
Onde: Nova York, no bairro do SoHo.
Site: http://www.minettatavernny.com

Detalhe: Importante fazer reserva para garantir.
Atenção para encontrar o lugar, a fachada é discreta!

Prato: Black Label Burger. Está no top 3 da minha vida!


Link original: https://www.jj.com.br/turismo/o-melhor-hamburguer-do-mundo/
Desenvolvido por CIJUN