Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Uma rua e mais nada!

| 23/09/2014 | 21:13

Já falei aqui sobre Nova York uma vez, mas hoje eu escrevo de uma única rua da “Big Apple”: a Quinta Avenida. Quem foi ou já viu mapas de Nova York com atenção, reparou que grande parte da cidade é toda planejada, parece um tabuleiro de xadrez ou um jogo de batalha naval. As avenues na vertical e as streets na horizontal, perfeitamente perpendiculares. Nosso passeio vai ser pela Quinta Avenida, entre as ruas 59 e 23, com muito dinheiro no bolso.

Saio do Central Park pelo canto inferior direito, e já paro na Apple pra comprar, deixa eu pensar… um i-pod, que eu vou carregar de músicas no hotel, várias do grupo Kaoma, pra me ajudar no o vôo da volta. Logo adiante na FAO Schwarz, a mais linda loja de bichos de pelúcia do mundo, compro uma lembrança pro meu sobrinho. Ele tem se comportado bem, merece! Mais um pouquinho e fico em dúvida onde escolher um presente humilde pra minha esposa, Louis Vuitton, Tiffany, Prada ou Fendi? (não se esqueçam que nesse nosso passeio, o Eike Batista engraxa meus sapatos!).

Quero uma calça bacana, acho que vou dar uma estacionada na Diesel e ver os últimos modelos e depois enfrentar uma fila na Hollister pra ver qual camisa fica mais apertada (tem roupas bem descoladas, mas só pra esquálidos e anoréxicos em geral). Cansei um pouco, tomo capuccino na Godiva, e já guardo uns chocolates pra devorar a noite. Na H&M e na ZARA dá pra comprar bastante coisa a preços decentes. Melhor entrar na catedral de St Patrick e orar por alguns minutos. Além de lindíssima, deixa seu espírito mais aliviado.

Logo na frente, à minha esquerda, a Saks Fifth Avenue, um monstro engolidor de dinheiro e destruidor de casamentos. Essa loja de departamentos tem vitrines sensacionais e uma disposição interna labiríntica, de certo desenhada pelo Minotauro pra ninguém sair ileso. Do lado direito o Rockefeller Center. Subo na Top of The Rock, um observatório com 260 metros de altura, tiro fotos excelentes do Central Park e praticamente toda a ilha de Manhattan.

Ainda vou passar em frente a lojas bacanas como Lacoste, Sephora (pras mulheres, claro), Guess. Na Barnes & Nobles eu fico mais tempo. A livraria tem 5 andares e pra quem curte, como eu, é uma verdadeira loucura. Nem vou tomar café no último andar, quero guardar espaço na pança pro almoço. Duas quadras depois encontro a Best Buy. Eletrônicos a preços hilários, é interessante como os meninos ficam felizes e as meninas começam a bocejar. Saio rápido e tiro algumas fotos bacanas em frente à Biblioteca Municipal de NY, o prédio é fantástico.

Agora chega de caminhar e comprar. Desço rapido até a esquina com a rua 23, num parque chamado Madison Square Park e minha refeição vai ser num dos templos de hamburguer de Nova York. Shake Shack. Do mesmo tamanho que a carne do lanche, vem um cogumelo Paris gigante recheadíssimo de queijo, empanado e frito. Na mordida vem todos os sabores de uma vez, e o queijo derretido escorre pelos dois cantos da sua boca. Tem fila, mas você será recompensado de uma maneira quase divina e por um preço equivalente a uma vela e duas hóstias!

ALEXANDRE MASSOTI é jundiaiense de coração, agente de viagens e cidadão do mundo. Formado em administração de empresas, atua na área de turismo há 20 anos. e-mail: alexandre@rosamassoti.com.br


Link original: https://www.jj.com.br/turismo/uma-rua-e-mais-nada/
Desenvolvido por CIJUN