Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Vêneto

| 07/10/2014 | 22:29

Na semana passada falamos sobre o vinho Amarone, da região do Vêneto. Hoje vamos falar um pouco mais sobre essa região localizada no Norte da “Bota” Italiana.

As colinas de Verona se alongam de SOAVE, leste, até o famoso lago de Garda, no Oeste. Lá, os solos vulcânicos são tão férteis que a vegetação cresce sorrindo e as videiras se entrelaçam não só nos vinhedos como também se espalham pelos vilarejos, o que deixa a região ainda mais encantadora.

O Vêneto é a mais variada das regiões vinícolas italianas, oferecendo inúmeros estilos de vinhos. Suas zonas de Denominação de Origem Controlada (DOC) estão divididas em cinco sub-regiões, vejamos:

SOAVE – Trata-se da região e da denominação de um vinho branco elaborado com a uva Garganega. É ‘Soave’ e não ‘suave’, hein!! Pois ‘suave’ não faz parte do dicionário do vinho! Suave é nome dado a vinho artesanal elaborado com uvas não viníferas. Já o Soave é famoso por ser um vinho branco seco, saboroso, límpido, de agradável acidez e normalmente apresenta aromas de flores e amêndoas.

VALPOLICELLA – O Valpolicella no Brasil, para muitos, é sinônimo de um vinho mediano, em virtude de uma invasão, ou melhor, de um tsunami chamado BOLLA. Mas o Valpolicella é muito mais do que o Bolla. Existem grandes produtores que produzem Valpolicellas de cair o queixo!
Valpolicella também é o nome da região e da Denominação de Origem Controlada que agrupa vários tipos de Valpolicellas, como Valpolicella Clássico, Valpolicella Ripasso, Recioto della Valpolicella e o todo poderoso Amarone della Valpolicella. As uvas utilizadas na produção do Valpolicella são três: Corvina, Rondinella e Molinara.

BARDOLINO – Trata-se do nome de uma cidade daquela região e também de uma denominação de origem, a Bardolino DOC, que produz um vinho de corpo bem leve, boa acidez, aromas de cereja e não passa muito disso.

VÊNETO CENTRAL – Esta região abriga quatro diferentes Denominações de Origem, quais sejam: Breganze DOC, Colli Berici DOC, Colli Euganei DOC e Gambellara DOC. Lá predominam as uvas francesas tintas, como a cabernet sauvignon, cabernet franc, merlot e até pinot noir. Já entre as brancas, prevalecem a vespaiolo, tocai itálico, garganega e serprina, diferentes né?

VENEZA/TREVISO – Ao norte de Treviso está a região do Prosecco, que vale um capítulo à parte. Mas lá também se elaboram tintos com as uvas francesas cabernet e merlot, bem como vinhos brancos da uva local, a Verduzzo.

É isso! O Vêneto é uma região fascinante. A cidade de Verona exala amor, Valpolicella é um encanto, Veneza nem se fala e, para os amantes do vinho e da boa, mesa é um clima sem igual. Viva Vêneto! Salute!

MURILO AZEVEDO PINTO é sommelier e consultor de vinhos. e-mail: azevedo-pinto@uol.com.br. Instagram: @murilovinhos


Link original: https://www.jj.com.br/turismo/veneto/

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido por CIJUN