Últimas

Caminhão cai de ponte em João Monlevade, na BR-381, no mesmo lugar de acidente com ônibus que matou 19 no mês passado

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o motorista perdeu o controle do caminhão e caiu no Rio Piracicaba


Divulgação
Mais um acidente em João Monlevade, MG
Crédito: Divulgação

Um caminhão caiu da "Ponte Torta", na BR-381, em João Monlevade, Região Central de Minas Gerais, na tarde desta quarta-feira (13). O acidente foi no mesmo local onde um ônibus caiu no dia 4 de dezembro e matou 19 pessoas.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o motorista perdeu o controle do caminhão e caiu no Rio Piracicaba. O veículo está totalmente submerso e, segundo testemunhas, há duas pessoas dentro dele: o motorista e um passageiro.

Às 15h40, mergulhadores de Itabira já estavam a caminho para atendimento da ocorrência. Uma viatura da Polícia Rodoviária Federal (PRF) estava no local.

A polícia informou que o veículo foi de marcha ré, da mesma forma que ocorreu com o ônibus. O acidente aconteceu na pista sentido Espírito Santo, oposto ao do acidente de dezembro. Dentro d'água, manchas de óleo subiam no local em que o veículo submergiu.

 

ACIDENTE DE ÔNIBUS

No dia 4 de dezembro de 2020, um ônibus caiu da ponte, deixando 19 mortos e mais de 25 pessoas feridas. Um mês após o acidente, a Polícia Civil ainda não havia concluído o inquérito.

Nesta quarta-feira, um homem de 33 anos continuava internado no Hospital de Pronto Socorro João XXIII, em Belo Horizonte. De acordo com a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), ele deve ter alta em breve.

Um homem de 26 anos saiu do Hospital Margarida, em João Monlevade, na última semana, 34 dias após a tragédia. O rapaz mora em Delmiro Gouveia (AL) e, após a alta, voltou para a cidade de origem.

O ônibus da Localima Turismo partiu da zona rural de Mata Grande, em Alagoas, e seguia para São Paulo (SP). Na altura do km 350 da BR-381, no trecho conhecido como "Ponte Torta", o veículo caiu do viaduto de uma altura de cerca de 35 metros.


O ônibus já havia sido autuado por transporte irregular de passageiros e, segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), não possuía autorização. O motorista sobreviveu ao pular do coletivo e se apresentou à polícia três dias depois do acidente.

A Localima Turismo emitiu uma nota, na época do acidente, na qual expressou pesar e tristeza pelas vítimas e afirmou estar à disposição para suporte “humano, digno, com compaixão e empatia”.


Notícias relevantes: