Últimas

Pazuello oficializa entrega de vacinas a governadores e diz que vacinação pode começar ainda hoje

Os governadores viajaram para São Paulo para o ato simbólico no Centro de Distribuição Logística do Ministério da Saúde


Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Ministro da Saúde, General Eduardo Pazuello, durante coletiva de imprensa do Ministério da Saúde, sobre a MP das vacinas, no Salão Oeste, do Palácio do Planalto.
Crédito: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Após a aprovação de ontem de duas vacinas contra o coronavírus no Brasil, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, oficializou na manhã de hoje a entrega das vacinas aos governadores que viajaram para São Paulo para o ato simbólico e disse que a imunização pode começar ainda hoje. O evento ocorreu no Centro de Distribuição Logística do Ministério da Saúde, em Guarulhos, na Grande São Paulo.

O Plano Nacional de Imunização estava antes previsto para começar na quarta-feira. "Depois de de ouvir os governadores, chegamos a decisão de que hoje ainda distribuiremos todas as vacinas aos estados, todas (...) A gente pode colocar a ideia de hoje ao final do expediente os estados começarem no município principal a começar a vacinar, com isso a gente adianta um dia. Acho que a gente pode começar hoje ao final do expediente", discursou.

O convite aos governadores foi feito ontem (17) por Pazuello pouco depois de acusar o governador João Doria (PSDB-SP) de fazer marketing por iniciar a vacinação contra a covid-19 em São Paulo antes do plano nacional de imunização.

A intenção da reunião com os governadores, no entanto, era realizar uma cerimônia com fotos que marquem o início da distribuição das vacinas para o Brasil a partir de São Paulo, onde estão as doses da CoronaVac, imunizante chinês produzido pelo Instituto Butantan.

"O Ministério da Saúde tem em mãos, neste instante, as vacinas tanto do Butantan quanto da [farmacêutica] Astrazeneca", afirmou o ministro em referência à vacina produzida no Brasil pela Fiocruz. "Nós poderíamos, em um ato simbólico ou em uma jogada de marketing, iniciar a primeira dose em uma pessoa. Mas em respeito a todos os governadores, prefeitos e todos os brasileiros, o Ministério da Saúde não fará isso. Não faremos uma jogada de marketing", disse Pazuello no domingo.

A decisão de João Doria (PSDB-SP) de aplicar a primeira vacina neste domingo (17) gerou mal-estar. Em grupo de WhatsApp de governadores, Wellington Dias (PT-PI) disse que a atitude foi lamentável. "O entendimento sempre foi o Brasil numa mesma data. Um estado coloca os demais como de segunda categoria", escreveu. A insatisfação chegou a Pazuello, que sentiu confiança para convidar governadores a um ato simbólico nesta segunda-feira (18).

Vacinação recomeçou em SP

Pouco mais de cem pessoas já receberam o imunizante em São Paulo, logo após a CoronaVac ser aprovada para uso emergencial pela Anvisa, incluindo a enfermeira Mônica Calazans, primeira pessoa vacinada no país.

A vacinação no estado continua hoje no Hospital das Clínicas da capital paulista. O início foi programado para as 7h com a vacinação de profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate à doença.

Já o Plano Nacional de Vacinação começará oficialmente na próxima quarta-feira (20), às 10h, quando as vacinas finalmente chegarem a todos os estados.

O transporte das vacinas

Após a aprovação de ontem das vacinas pela Anvisa, as doses serão distribuídas aos estados brasileiros em aviões comerciais das quatro maiores companhias aéreas do país: Gol, Latam, Azul e Voepass, que se puseram à disposição do governo para transportar gratuitamente os imunizantes.

O presidente da Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), Eduardo Sanovicz, afirmou que o objetivo das companhias é acelerar o processo de vacinação.

As vacinas deverão ser transportadas a todos os estados nos porões de cargas dos aviões comerciais. A Azul afirmou que a estimativa é transportar até 5.000 doses por voo.

Já a Latam disse que os aviões do modelo Airbus A320 têm a capacidade para até 800.000 doses da vacina, embora esse número possa variar de acordo com o tipo da vacina a ser transportada. A Gol não apresentou uma estimativa.


Notícias relevantes: