Últimas

Casos de coronavírus no mundo passam de 100 milhões, diz levantamento da Johns Hopkins

Dados da Universidade Johns Hopkins mostram que EUA, Índia e Brasil concentram quase a metade de todas as infecções de covid-19 no mundo


ALEXANDRE MARTINS
Dezembro nem começou direito e as ruas do Centro já estão tomadas por consumidores
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

O número de casos confirmados do novo coronavírus no mundo passou de 100 milhões, segundo mostra levantamento da Universidade Johns Hopkins nesta terça-feira (26). Foram 10 milhões de casos confirmados de Covid-19 em apenas 15 dias.

Com 100.031.461 infecções, o triste marco é alcançado enquanto o mundo se aproxima das 70 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 já aplicadas, segundo contagem do projeto "Our World in Data".

Os Estados Unidos seguem como o país mais afetado pela pandemia, com cerca de um quarto de todas as infecções mundiais. Neste domingo (24), ele passou dos 25 milhões de infectados.

Em segundo lugar está a Índia, com mais de 10 milhões de casos de coronavírus. Depois vem o Brasil, com ao menos 8,8 milhões de confirmações. Os três países mais afetados concentram quase a metade (44%) de todos os casos de Covid-19 no mundo.

Veja os 5 países com mais casos no mundo

- EUA: 25.362.794 casos

- Índia: 10.676.838 casos

- Brasil: 8.871.393 casos

- Rússia: 3.716.228 casos

- Reino Unido: 3.700.235 casos

Considerando o total de mortes pela doença, o mundo já passa dos 2,1 milhões. EUA, Brasil, Índia, México e Reino Unido concentram, juntos, a metade de todas as mortes por complicações da doença registradas no mundo.

Veja os 5 países mais mortes por Covid-19 no mundo

- EUA: 423.010 mortes

- Brasil: 217.664 mortes

- Índia: 153.587 mortes

- México: 150.273 mortes

- Reino Unido: 100.358 mortes

Os dados não consideram infecções ou mortes não registradas oficialmente. Por isso, os números podem ser bem maiores do que os apontados pela Johns Hopkins.

O aumento no número de confirmações acompanha o temor mundial de novas infecções provocadas por mutações do coronavírus Sars-Cov-2. Variantes do vírus registradas no Reino Unido, África do Sul e Brasil provocaram o cancelamento de voos e a proibição de embarques para diversos países.

Mais recentemente, Israel fechou seu maior a aeroporto internacional por uma semana para evitar a chegada de variantes mais contagiosas do coronavírus.

A chanceler alemã Angela Merkel disse, na semana passada, que considera fechar o país caso os vizinhos não tomem medidas efetivas de confinamento.

Reino Unido, Itália, Holanda e Turquia já proibiram a entrada de viajantes oriundos do Brasil para conter a variante identificada no início do mês, que tem sua origem rastreada no estado do Amazonas.


Notícias relevantes: