Últimas

Mãe do empresário Luciano Hang morre após ser internada com covid-19

Regina Hang tinha 82 anos e estava na UTI do hospital Sancata Maggiore, em São Paulo


Divulgação
Luciano Hang ao lado da mãe, Regina Hang, falecida nesta quinta-feira (4) em São Paulo
Crédito: Divulgação

Regina Modesti Hang, 82 anos, mãe do empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas varejistas Havan, morreu nesta quinta-feira (4), em São Paulo.

Ela estava internada no hospital Sancta Maggiore, da rede Prevent Sênior, na Zona Sul da capital paulista, desde 31 de dezembro, após ser diagnosticada com Covid-19.

"É com profunda tristeza que a Havan comunica o falecimento de Regina Modesti Hang, 82 anos, mãe de Luciano Hang. Ela ficará marcada por sua simplicidade e generosidade, na memória e no coração dos que passaram por sua vida. Dona Regina sempre esteve ao lado do filho, presente nas inaugurações e nos momentos mais importantes destes quase 35 anos de história de Havan. Era nossa 'cliente número 1', a primeira a comprar em cada filial inaugurada pelo Brasil", disse a nota da empresa sobre a morte.

Luciano Hang também esteve internado no mesmo hospital para tratar da Covid-19 e recebeu alta no último dia 20 de janeiro. Ele foi hospitalizado dez dias depois da mãe, após fazer exames preventivos e testar positivo para a doença, ao lado da esposa.

Nas redes sociais, o empresário de Santa Catarina lamentou a perda da mãe para a doença.

"A dor de perder uma mãe é inexplicável, é um buraco enorme que se abre no peito, mas logo será preenchido por saudades e boas lembranças dos momentos únicos que compartilhamos juntos", disse Luciano Hang em postagem no Instagram.

"Minha mãe, como todas as mães, são anjos da guarda que Deus escolhe para enviar a Terra e cuidar de nós. Hoje, ela volta para os braços de seu Criador para descansar em paz", completou.

No dia que teve alta, Luciano Hang fez uma live de dentro do hospital da Prevent Senior e relatou que a mãe chegou a ter 95% do pulmão comprometido por causa do coronavírus, mas que ela vinha se recuperando.

"Desde o dia 31 de dezembro estou com a minha mãe no hospital. Ela chegou a ficar com 95% do pulmão comprometido. A minha mulher também testou positivo e eu, dez dias atrás, também resolvi fazer o teste e descobri que estava assintomático. [...] Apesar de estar assintomático, eu fiz o teste e tinha a presença do vírus no pulmão. Resolvi ficar no hospital para fazer o tratamento que eu acredito, preventivo e precoce", disse Hang em 20 de janeiro.

Regina Modesti Hang deixa dois filhos, João Luiz e Luciano, noras, netos e bisnetos. A celebração de despedida será reservada apenas aos familiares, segundo o comunicado da Havan.

 

TRATAMENTO PRECOCE

Apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Hang costuma contestar o isolamento social e usar as redes sociais para defender o uso de hidroxicloroquina contra a Covid-19. O medicamento não tem eficácia científica comprovada na prevenção ou tratamento da doença causada pelo coronavírus.

Em live transmitida no Instagram antes da alta, o empresário voltou a defender o uso de medicamentos sem eficácia comprovada. No entanto, disse também acreditar na vacina – medida que, de fato, pode prevenir o contágio pelo coronavírus, segundo os cientistas.

"Acredito na vacina, mas também no tratamento precoce. Prefiro pecar pelo acesso a não fazer nada. Vou fazer todos os tratamentos que estiverem disponíveis. Minha mae segue internada e melhorando a cada dia, rezem por ela. Fiquem bem e se cuidem. Um grande abraco!", afirmou.


Notícias relevantes: