Últimas

Cidade de São Paulo precisa de 470 mil doses para vacinar pessoas de 43 a 48 anos

A Prefeitura da capital retomou a vacinação contra a covid-19 nesta quarta-feira (23)


DIVULGAÇÃO
Cidade de São Paulo precisa de 470 mil doses para vacinar pessoas de 43 a 48 anos
Crédito: DIVULGAÇÃO

A Prefeitura de São Paulo retomou a vacinação contra a covid-19 nesta quarta-feira (23), um dia após os postos ficarem fechados para reposição das doses. Nesta quarta, estão sendo vacinadas pessoas com 49 anos.

Em entrevista coletiva nesta quarta, durante a inauguração do novo megaposto de vacinação, em São Miguel Paulista, na leste, o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, afirmou que precisará de 470 mil doses até a próxima terça-feira (29) para poder imunizar todas as pessoas de 43 anos a 48 anos residentes na capital.

O estoque atual da cidade para a primeira imunização é de 181 mil doses da CoronaVac que foram distribuídas nesta terça-feira (22) aos pontos de vacinação. Além desse montante, foram distribuídas 30 mil doses da AstraZeneca, reservadas para o reforço.

Nos cálculos da prefeitura, são cerca de 170 mil pessoas residentes na cidade de São Paulo da faixa etária de 49 anos que que podem tomar a vacina contra a covid-19. Destas, Já foram imunizadas com a primeira dose 66.886 pessoas. Ou seja, só nesta quarta-feira, 103.593 pessoas de 49 anos devem procurar os postos de saúde para se vacinar.

Caso todas elas venham a comparecer apenas nesta quarta-feira aos postos de vacinação, as cerca de 80 mil restantes ao final do dia não serão suficientes para cobrir a necessidade desta quinta-feira (24), já que são 105,5 mil pessoas de 48 anos que ainda não foram imunizadas.

"Nós fizemos um cálculo em cada uma das faixas etárias. Estamos descontando aquelas que já foram vacinadas, como gestantes, categorias profissionais e pessoas com comorbidades. Então você tem a diferença do quanto você precisa vacinar e, obviamente, a quantidade de vacinas", afirmou Aparecido.

O secretário disse que, na terça-feira, enviou uma carta ao Ministério da Saúde informando a necessidade de doses para atender cada faixa etária. Na manhã desta quarta-feira, ele terá uma reunião com representantes da Secretaria Estadual da Saúde para saber qual é a previsão de chegada de mais doses.

Caso novos lotes não sejam enviados ainda nesta quarta-feira, e, dependendo da adesão da vacinação das pessoas de 49 anos, é possível que falte novamente doses nos pontos de vacinação como ocorreu na tarde de segunda-feira (21). Apesar disso, Aparecido não confirma o risco de desabastecimento e que o calendário está mantido.

"É possível que a gente venha receber a Pfizer nesta semana, e a Janssen há uma confirmação do ministério que a gente venha a receber hoje. Então estamos aguardando a confirmação do ministério e da Secretaria Estadual da Saúde. O calendário será cumprido", disse.

Ele afirmou que o importante é que a prefeitura tem o imunizante independente da fabricante. Ele voltou a lembrar que a orientação do Ministério da Saúde é a de priorizar as capitais para o recebimento das doses da Janssen.

A pressão pelo recebimento demais vacinas, independentemente da fabricante, é reforçada pelo fato da alta taxa a adesão à vacinação das faixas etárias recentemente imunizadas. Segundo dados apresentados por Edson Aparecido, 100% das pessoas de 56 anos elegíveis para receber o imunizante foram vacinadas na cidade de São Paulo.

"Essa população economicamente ativa abaixo de 60 anos, a adesão é muito grande porque as pessoas estão indo vacinar. É população que trabalha que circula na cidade, então a adesão tem sido muito grande", disse.


Notícias relevantes: